Estrangeiros terão que comprovar dois anos de domicílio, define Conselho Estadual (CED)

Conselho Estadual de Esportes (CED) define novas diretrizes para participação do atleta “não catarinense” nas competições da Fesporte.

Outras notícias da semana

Incêndio em garagem mobiliza Corpo de Bombeiros no Poço Fundo

O Corpo de Bombeiros atendeu uma ocorrência de incêndio em garagem no início da tarde desta quinta-feira (21), em Brusque. O caso foi registrado...

Incêndio destrói veículo no bairro São Luiz

O Corpo de Bombeiros combateu um incêndio em veículo na madrugada desta quarta-feira, 20. O sinistro foi registrado por volta das 0h15min, na Rua...

Secretaria de Saúde de Brusque apresenta Plano de Ações para os próximos quatro anos

O prefeito e vice-prefeito de Brusque, Ari Vequi e Gilmar Doerner, conheceram na tarde desta quinta-feira (21) o Plano de Ações da Secretária de...

Presidente do Sintrafite fala sobre campanha salarial e atendimentos no setor da saúde para os associados e dependentes

Anibal Boettger, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação, Malharia, Tinturaria, Tecelagem e Assemelhados de Brusque e Região fala sobre os objetivos...

O Conselho Estadual de Esporte (CED-SC) decidiu que, a partir deste ano, a participação do atleta “não catarinense” nas competições da Fesporte estará condicionada a comprovação de dois anos de domicílio no Estado. A decisão atende a uma lei instituída pelo deputado estadual Antônio Aguiar, em vigor desde janeiro do ano passado, mas que ainda não estava em prática dado ao direito adquirido de alguns atletas enquadrados no dispositivo.

A votação que determinou a restrição foi por oito votos a favor, quatro contra duas abstenções na plenária do CED-SC ocorrida no último domingo, em Lages. A restrição aos “estrangeiros” faz parte da redação final do regulamento geral das competições da Fesporte. O atleta terá que comprovar residência em Santa Catarina por dois anos, com registro em uma entidade de administração de esporte (federação/associação) no Estado. Atualmente, a maior incidência de não catarinenses se dá durante a disputa dos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Outra decisão na plenária do CED-SC dá conta da obrigatoriedade do município sede dos Jogos Abertos a realizar, no ano seguinte, os Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina, os Parajasc. A reunião contou com a presença do presidente da Fesporte Rui Godinho, que passa a integrar o colegiado na condição de membro nato do poder legislativo do esporte catarinense.

Texto/Divulgação: Fesporte –
Foto: Rafael Araldi

Últimas postagens

Hospital Azambuja divulga nota de pesar pelo falecimento do Dr. Lira

É com profunda tristeza que o Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux – Hospital Azambuja lamenta o falecimento do médico Adail Japy Lira, aos 77...

Homem fica ferida após colisão de carro em poste em Águas Claras

Uma colisão de um veículo em um poste da rede pública de energia deixou um homem de 34 anos ferido. O acidente ocorreu na...

Brusque registra 96 casos de Covid-19 nas últimas 24h; Em Guabiruba foram quatro

O novo boletim epidemiológico, divulgado neste sábado (23), aponta que Brusque tem 15.208 casos confirmados de Covid-19. Nas últimas 24 horas foram registrados 96...

IPTU pode ser emitido na escola Arthur Wippel até a próxima sexta-feira

A Prefeitura de Guabiruba informa que a escola Arthur Wippel, como ponto de emissão das guias do IPTU, estará em funcionamento até a próxima...

Pronegócio encerra com a marca de mais de 700 mil peças vendidas

Mais de 700 mil peças foram vendidas na 54ª Pronegócio, realizada pela Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região (AmpeBr). O...
Publicidade
WhatsApp chat