Presidente Jair Bolsonaro extingue horário de verão

Outras notícias da semana

Veículo capota na Rua do Cedro

Um capotamento de veículo foi registrado por volta das 13h30 deste domingo, 29. O acidente ocorreu na Rua do Cedro, no bairro Dom Joaquim....

Vendaval da madrugada provoca queda de árvore no Ribeirão Tavares

O vendaval na madrugada desta quinta-feira, 3, provocou a queda de uma árvore de grande porte no bairro Ribeirão Tavares, no bairro Limeira. De...

COVID-19: Boletim epidemiológico de 29 de novembro

Brusque registrou nas últimas 24 horas 219 novos casos de Covid-19. Agora, a cidade conta com 9.084 pessoas que já contraíram a doença. Deste...

Confira as aprovações da sessão ordinária desta terça-feira, 1º de dezembro

Em sessão ordinária virtual na tarde desta terça-feira, 1º de dezembro, os vereadores aprovaram cinco projetos de lei e dois pedidos de informações na...

O Brasil não adotará mais o horário de verão a partir deste ano. O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (25) decreto que extingue a medida, em cerimônia no Palário do Planalto.

A decisão foi baseada em recomendação do Ministério de Minas e Energia, que apontou pouca efetividade na economia energética, e estudos da área da saúde, sobre o quanto o horário de verão afeta o relógio biológico das pessoas.

“As conclusões foram coincidentes. O horário de pico hoje é às 15 horas e [o horário de verão] não economizava mais energia. Na saúde, mesmo sendo só uma hora, mexia com o relógio biológico das pessoas”, disse, ressaltando que não deve haver queda na produtividade dos trabalhadores nesse período.

A medida já havia sido anunciada pelo presidente no dia 5 de maio.

De acordo com o secretário de Energia Elétrica do MME, Ricardo Cyrino, a economia de energia com o horário de verão diminuiu nos últimos anos e, neste ano, estaria perto da neutralidade. “Na ótica do setor elétrico, deixamos de ter o benefício”, disse.

Cyrino afirmou que o horário de verão foi criado com o objetivo de aliviar o pico de consumo, que era em torno das 18 horas, e trazer economia de energia na medida em que a iluminação solar era aproveitada por mais tempo.

“Com a evolução da tecnologia, iluminação mais eficiente, entrada de ar-condicionado – que deslocou o pico de consumo para as 15 horas – e também a substituição de chuveiros elétricos [por aquecimento solar, por exemplo], que coincidia com a iluminação pública às 18 horas, deixamos de ter a economia de energia que havia no passado e o benefício do alívio no horário de ponta, às 18 horas”, explicou.

O horário de verão foi criado em 1931 e aplicado no país em anos irregulares até 1968, quando foi revogado. A partir de 1985, foi novamente instituído e vinha sendo aplicado todos os anos, sem interrupção. Normalmente, o horário de verão começava entre os meses de outubro e novembro e ia até fevereiro do ano subsequente, quando os relógios deveriam ser adiantados em uma hora em parte do território nacional.

O secretário afirmou ainda que nos últimos 87 anos de instituição do horário de verão, por 43 anos o país ficou sem adotar a medida e que ela pode ser instituída novamente no futuro. “Tivemos muitas alternâncias. Vamos continuar fazendo avaliações anuais e nada impede que, no futuro, caso venha a ser conveniente na ótica do setor elétrico, vamos sugerir novamente a introdução do horário de verão. Por hora, ele não faz mais sentido. ”

Novos decretos

Participaram da cerimônia, no Palácio do Planalto, parlamentares que apresentaram projetos no Congresso para extinguir o horário de verão. Bolsonaro se colocou à disposição para avaliar outras proposições que possam ser colocadas em prática via decreto presidencial.

“Sabemos da dificuldade do parlamentar para aprovar uma lei ao longo de uma legislatura. Muito difícil. Agora, um decreto tem um poder enorme, como esse assinado agora. A todos os senhores, o governo está aberto a quem tiver qualquer contribuição. Em havendo o devido amparo jurídico, apresentaremos um novo decreto”, afirmou.

Últimas postagens

Encontrada carteira com documentos.

Foi encontrada uma carteira com documentos em nome de Bruno Marques Ferreira, a mesma se encontra aqui na rádio Diplomata FM para retirada. ...

Nota da ABM Simesc sobre a COVID-19

GESTOS SIMPLES SALVAM VIDAS Após um período de redução no número de novos casos diários de infecção pelo coronavírus observado durante o mês de outubro...

Carteira com documentos perdida

Vanderlei Laurindo  perdeu a carteira com os documentos no  trajeto do Fort Atacadista, de Brusque, ao Limoeiro. Quem encontrar deverá entrar em contato através...

Confira o boletim epidemiológico desta sexta-feira

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou 283 novos casos confirmados de Covid-19 na cidade, nas últimas 24 horas. Conforme o último boletim epidemiológico...

Dr. Osvaldo confirma ter aceitado convite para assumir Secretaria Municipal de Saúde, a partir do novo governo

O nome do médico Osvaldo Quirino de Souza foi cogitado para assumir a Secretaria Municipal de Saúde de Brusque. Nos bastidores políticos, a informação...
Publicidade
WhatsApp chat