Setembro amarelo terá foco em prevenção do suicídio entre os jovens

Outras notícias da semana

Hospital Dom Joaquim e Fundação de Esportes são beneficiados com verba parlamentar

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira (13), no gabinete do prefeito Ari Vequi, foi anunciada emenda parlamentar impositiva do deputado estadual, Fernando Krelling,...

Governo divulga calendário de pagamentos do Bolsa Família em 2021

O Ministério da Cidadania divulgou nesta segunda-feira (11) o calendário anual de pagamentos dos benefícios do Programa Bolsa Família para 2021. As informações foram...

Prefeitura de Brusque abre Processo Seletivo simplificado para Educação

Inscrições podem ser realizadas de 15 a 22 de janeiro A Prefeitura de Brusque, por meio da Secretaria da Fazenda e Gestão Estratégica, lançou edital...

SINTRICOMB iniciará distribuição de material escolar a associados

Na próxima segunda-feira, dia 18, começa a distribuição de kits de material escolar a associados ao Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e...

O Ministério da Saúde vai aproveitar setembro, mês de conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio, para enfatizar a necessidade de atenção especial com o bem-estar e a saúde mental de crianças e adolescentes.

Segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta, o foco das ações desenvolvidas pela pasta durante o Setembro Amarelo será o público jovem, no qual vem aumentando o número de casos e de tentativas de suicídio. “Vamos focar nesta questão dos jovens, tanto na questão do suicídio quanto das tentativas, procurando alternativas de políticas públicas indutórias”, disse o ministro durante a 7ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite, realizada na manhã desta quinta-feira (29), em Brasília.

Presente em quase todo o mundo, campanha busca chamar a atenção para a questão do suicídio – (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Mandetta ressaltou que o aumento do suicídio entre os jovens é um fenômeno mundial que, nos últimos anos, vem causando crescente preocupação também no Brasil. Para o ministro, o problema é complexo e não pode ser compreendido ou explicado por um só fator. “A barra está muito pesada, e isso está fazendo com que percamos muitos jovens”, afirmou o ministro, arriscando uma explicação. Segundo o ministro, os jovens brasileiros, que estão entre os que passam mais tempo conectados à internet, têm dificuldade para lidar com a confusão entre o mundo online e as exigências e frustrações cotidianas do mundo fora da rede mundial de computadores.

Para Mandetta, isso gera ansiedade e enfraquece vínculos sociais. “O mundo virtual é maravilhoso, mas não condiz com a realidade. Ali, todo mundo está feliz, bem. Estamos tendo dificuldades de conviver com isto”, acrescentou Mandetta.

Ele disse que o alcance e imediatismo das redes sociais podem potencializar questões que sempre causaram mal-estar entre os jovens. “O bullying, por exemplo. Na minha geração, era algo circunscrito. Ficava limitado a uma sala de aula, ao pátio do colégio e, de alguma maneira, as pessoas faziam seus rearranjos. Hoje, com a internet, o bullying às vezes ganha uma escala nacional”, disse o ministro. “Este é o pano de fundo para o grande drama que esta geração enfrenta.

Para Mandetta, a questão do suicídio e outros temas de saúde mental devem ser tratados, entre todas as faixas etárias,  com informações claras e com o máximo de naturalidade possível. “Assuntos como depressão, ansiedade e os cuidados com a saúde mental têm que ser incluídos na agenda. Temos que dizer que a depressão existe e que não se trata apenas de um estado de melancolia. Precisamos desmistificá-los, abordá-los como outros assuntos de saúde, como a hipertensão ou a diabete e valorizar a vida”, exemplificou o ministro ao defender a ação conjunta de profissionais das áreas de e educação.

“Acho que a saúde vai ter que ir para as escolas e organizar esta interface junto à educação. E acho que são os próprios adolescentes, dialogando entre si, que [com orientação] vão achar as necessárias válvulas de escape. Porque eles não vão achar com quem falar dentro de casa. Não acham na familia. O meio está hostil, os amigos estão vivendo no mundo virtual e, no mundo real, esses jovens se deparam com [as exigências e frustrações do] dia a dia”, concluiu o ministro.

Realizada em quase todo o mundo, a campanha Setembro Amarelo ocorre anualmente em setembro e tem o objetivo de sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão e informar sobre os sinais que precisam ser observados com atenção, bem como os locais onde procurar ajuda.

Últimas postagens

Estudantes fazem hoje primeira prova do Enem 2020

Milhões de estudantes de todo o país fazem hoje (17) a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Os portões serão...

Dois homens são detidos por suspeita de tráfico de drogas

Dois homens foram detidos pela Polícia Militar na noite deste sábado, 16, no bairro Centro. Na abordagem veicular realizada pelo PPT foi localizado aproximadamente...

Polícia Militar registra ocorrência de perturbação no bairro Santa Terezinha

De acordo com a Polícia Militar, a guarnição foi acionada via COPOM para atendimento de ocorrência de Perturbação do trabalho ou sossego alheios, por...

PRE flagra motorista embriagado na rodovia Ivo Silveira

A Polícia Militar Rodoviária Estadual flagrou um motorista dirigindo embriagado, por volta das 22h45, na Rodovia Ivo Silveira, nas imediações do bairro Batêas.Segundo a...

Anvisa decide neste domingo se aprova uso emergencial de vacinas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realiza, neste domingo (16), em Brasília, reunião extraordinária de sua diretoria colegiada, formada por cinco integrantes, para...
Publicidade
WhatsApp chat