Ciclistas fazem ato de luto e protesto na Avenida 1º Primeiro de Maio

Outras notícias da semana

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado de R$ 34 milhões

A Mega-Sena sorteia neste sábado (20) prêmio acumulado de R$ 34 milhões. As seis dezenas do concurso 2.346 serão sorteadas, a partir das 20h...

Prefeitura de Brusque apresenta ações da vacinação da Covid-19

Prefeitura de Brusque apresenta ações da vacinação da Covid-19 Até o momento foram aplicadas 3mil 556 da 1ª dose e 791 da 2ª dose, com...

Faculdade São Luiz oferece curso de extensão com valor simbólico; assunto foi destaque no Programa da Hora

A Faculdade São Luiz está com inscrições abertas para o curso de extensão “Desenvolvendo métodos e técnicas de estudo”, com valor simbólico de R$...

Imóvel da Schlösser é arrematado por R$ 7,5 milhões pela Havan, presidente do Sintrafite fala sobre assembleia

Em assembleia realizada na manhã de domingo, 21, na sede do Sintrafite, foi decido pela aceitação da proposta da empresa Havan para compra de...

Movimentos em defesa dos ciclistas realizaram um ato de luto e de protesto na Avenida Primeiro de Maio, na noite desta sexta-feira, 13 – no local em que ocorreu a morte do jovem Diego Visnheski, 17 anos, atingido por uma motocicleta na ciclofaixa, no trecho sem tachões.

O grupo de ciclistas, coordenados pelos Fórum da Bicicleta, Massa Crítica e o Brusque Bike, saíram da Praça Sesquicentenário, em frente à prefeitura, em direção a Avenida 1º de Maio – com apoio da GTB – Guarda de Trânsito de Brusque.

No local do acidente, houve uma parada para homenagens e atos simbólicos em memória da vítima. A ação também serviu de protesto por uma antiga solicitação dos movimentos em defesa dos ciclistas.

Desde a recuperação asfáltica na Avenida Primeiro de Maio, é reivindicado pelos movimentos a recolocação dos tachões na curva onde ocorreu o acidente. O trecho indicado fica entre a Sociedade Beneficiente até imediações do bairro Águas Claras.

De acordo com o coordenador do Fórum, Edson Hoffmann, pela falta dos dispositivos de sinalização, o trecho ficou inseguro e muitos acidentes já foram registrados.

“É com muita tristeza e sempre foi avisado que isso poderia acontecer – nos cobramos das autoridades. Com a retirada dos tachões aumentou muito o número de acidentes. À noite não há visibilidade, infelizmente virou uma roleta russa – não podemos indicar andar na calçada porque para nós é fora da lei”, explicou Edson.

Acompanhe na integra a entrevista.

Entrevista com Edson Hoffmann, do Fórum da Bicicleta

Crédito das Fotos: Yuri R. Neves Goossens

Últimas postagens

Prefeitura de Guabiruba registra 24º óbito pela Covid-19

A Prefeitura de Guabiruba informa, com pesar, o 24º óbito pela Covid-19 no município. Trata-se de uma mulher de 34 anos que possuía hipertensão...

Rua Itajaí será interditada a partir desta quinta-feira (25)

Ação é necessária para a troca de tubulação e ligação de esgoto A rua Itajaí vai ser interditada a partir desta quinta-feira (25), a via...

Covid-19: Confira o boletim epidemiológico desta quarta-feira (24)

Nas últimas 24 horas foram registrados 56 novos casos da doença e 1 óbito O novo boletim epidemiológico, divulgado nesta quarta-feira (24), aponta que Brusque...

Técnico do Carlos Renaux fará estágio no Metropolitano durante o Estadual

Técnico do Carlos Renaux fará estágio no Metropolitano durante o Estadual Time de Blumenau também terá dois jogadores do Vovô na equipe que disputa o...

Polícia Militar prende homem por tráfico no Limoeiro

A Polícia Militar em patrulhamento pelo bairro Limoeiro, avistou dois homens em atitude suspeita, na condução de uma motocicleta. Foi realizada abordagem na região...
Publicidade
WhatsApp chat