Medidas restritivas impostas pelo Governo de Santa Catarina passam a valer a partir desta quinta-feira, 19,em Brusque

Presidente da Acibr participou de reunião emergencial nesta quarta-feira onde medidas que passam a valer também em Brusque foram repassadas

Publicidade
Utilidade pública

A Presidente da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), Rita Cassia Conti, participou na manhã desta quarta-feira, 18 de março, da reunião emergencial que definiu ações do Decreto Estadual em âmbito local por conta da pandemia de coronavírus. Para esta quarta-feira, uma série de medidas restritivas entraram em vigor como forma de conter a proliferação do vírus no estado e devem ser adotadas nos próximos sete dias em todas as cidades catarinenses.

Neste período, permanecerão abertos serviços considerados essenciais, como farmácias, supermercados, unidades de saúde, postos de combustível e distribuidoras de gás e água.
Também serão mantidos os serviços públicos essenciais no âmbito municipal, estadual e federal. Todos os demais serão exercidos por meio digital ou remoto. Após os sete dias, será feita uma nova avaliação para verificar a necessidade de se manter as restrições, conforme divulgado pelo Governo Estadual. Também cita no decreto a suspensão do transporte coletivo urbano municipal, intermunicipal e interestadual de passageiros, a proibição do funcionamento de comércio, academias e restaurantes.

Reflexos em Brusque

Em Brusque, este dia 18 está sendo dedicado a orientações e adequação à Lei para que ela seja cumprida de forma integral e consciente por todo cidadão. Por isso, a reunião emergencial com o Grupo Gestor e o Comitê de Enfrentamento do Coronavírus, no gabinete da Prefeitura Municipal de Brusque, foi marcada com urgência. Além da presidente da Associação Empresarial, estiveram presentes na reunião a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Brusque, Sindicato do Comercio Varejista e Atacadista de Brusque e região (Sindilojas), Polícia Militar, Câmara de Vereadores, representante do Transporte Público e autoridades do poder público em geral.

Os presentes discutiram o Decreto Estadual e seus reflexos nos comércios de Brusque, transporte coletivo e demais temas de interesse público. Com o Decreto do Governador que se tornou lei em território estadual, a sociedade precisa obedecer a critérios rigorosos de prevenção ao coronavírus. Para isso, esta quarta-feira será de adequação às novas regras que valerão a partir de quinta-feira, 19. “Conversamos vários detalhes a respeito disso, como ficaria o transporte público, que irá funcionar normalmente somente até meia-noite. A partir de quinta-feira estará suspenso por sete dias, prazo que poderá ser prorrogado”, explica Rita Conti.

O comércio local também passa por um dia inteiro de orientação para que, aos poucos, o atendimento reduza totalmente. “A partir de amanhã, dia 19, estará fechado e quem não fechar, haverá fiscalização e isso é o Poder Público que passa para nós”, ressalta Rita. Também haverão medidas em relação ao trânsito de ônibus de turismo, que chegam a Brusque de outros estados. Eles serão orientados pela Polícia Militar que solicitará seus regressos aos locais de origem. Padarias, restaurantes poderão abrir as portas, desde que o cliente compre o alimento e leve para consumir em casa, não sendo permitida a permanência no ambiente. “Pedimos coerência em relação aos supermercados, para que a população vá ao estabelecimento de maneira consciente, precisamos avaliar isso também”, avaliou a presidente.

Como o decreto foi anunciado pelo Governador em coletiva de imprensa durante a noite de terça-feira, as entidades e poder público local entenderam que haveria necessidade de um período para o planejamento e adequação. “É  partir de quinta-feira que vale nosso decreto de sete dias. Em nossas empresas e indústrias muitas estão trabalhando, mas quinta-feira muitos de seus colaboradores e funcionários não terão o transporte público. Cada indústria tem que se adequar com o mínimo possível de colaboradores para poder avaliar seu funcionamento, porém, pode usar aplicativos e táxis, o que não pode é fretar ônibus para trazer seus colaboradores caso elas tenham algum pedido que teria alguma urgência. Vamos aguardar e ver o que irá acontecer”, ressalta Rita.

A Associação Empresarial de Brusque orienta que as industrias entrem em contato com suas as entidades de classe para discutir a melhor saída perante a pandemia do coronavírus. Mas, acima de tudo, é preciso se atentar às normas do Decreto Estadual.

Publicidade
Últimas notícias

Aprovados na Câmara financiamentos de R$ 15 e 25 milhões para construção de pontes e obras de mobilidade urbana; gerou discussão

A sessão da Câmara de Vereadores desta terça-feira, 15, foi marcada por debates. Dois projetos na Ordem do Dia,...
Publicidade
WhatsApp chat