Proprietários de quadras esportivas buscam retomada do futebol com protocolo preventivo

Publicidade
Utilidade pública

Retomada com segurança, é o que defendem os proprietários de campos sintéticos e quadras de futebol society, que buscam sensibilizar o governo municipal pela liberação das atividades, atendendo às exigências técnicas de enfrentamento à pandemia da Covid-19.

O último decreto do município não editou medidas voltadas para o setor, que vem discutindo com a base governista os protocolos, que visam medidas de cuidados sanitários e controle de público nos espaços. Uma comissão, que representa cerca de 30 empreendimentos de quadras esportivas, dialoga com a equipe da Prefeitura de Brusque, para mostrar que é possível encontrar um formato de funcionamento.

De acordo com Sergio Lang Júnior, um dos membros da comissão, o protocolo é rigoroso, dentro das possibilidades de promover a prática do futebol.

“É um protocolo bem mais rigoroso; vamos fazer higienização das traves, bancos de reserva (com distanciamento de um meio e meio) e o uso de manga-longa para jogar; são requisitos de segurança tanto para quem joga e para quem está trabalhando”, disse Lang.  

Medidas preventivas visam retorno do futebol em campos sintéticos
Medidas preventivas visam retorno do futebol em campos sintéticos, com regras de distanciamento

Há exemplos de alguns municípios da região, que já permitiram o retorno das atividades, os proprietários e sociedades esportivas se baseiam num protocolo específico que atende o futebol, muito próximo ao exigido do profissional. A única diferença é a realização da testagem – não que isso não possa ser uma recomendação às turmas participantes, aponta a comissão.

“Não temos o recurso, seria a única diferença, devido ao custo – se tornaria inviável”, destacou Sérgio.

Sobre o fluxo de público, uma das medidas é espaçar os horários, com alternância de 15 a 20 minutos para início de uma nova partida. O protocolo prevê também tempo mínimo dos jogadores no espaço social, após o término das partidas.

“A gente tem uma procura grande, pois o pessoal está ansioso por volta à rotina e praticar exercício, muitos têm o futebol como atividade física – somos também promotores de saúde, onde muitos jogam para combater doenças crônicas”, frisou.

Campo sintético da Euro Soccer
Campo sintético da Euro Soccer, no bairro Guarani

O que diz a Fundação Municipal de Esportes – De acordo com Edson Garcia, superintendente da FME, o diálogo é positivo e o poder público entende as solicitações do setor, no entanto, ainda não é possível uma abertura.

No caso do último decreto as medidas editadas beneficiaram esportes praticados com um mínimo de distância, com até quatro atletas, como o beach-tênis e futevôlei.

“É uma questão um pouquinho mais complicada por conta do que as autoridades de saúde pedem”, frisou.

No caso do Campeonato de Futebol Amador, a competição seguirá suspensa, mas, de acordo com Garcia, não há anseio das próprias equipes pelo retorno.

Sobre os campos e quadras sintéticas, Edson entende que se trata de outra demanda.

“É necessário buscar uma alternativa, pois eles dependem disso em termo de geração de renda; sabemos que isso precisará de protocolos, principalmente por conta das aglomerações”.

Protocolo busca retomada futebol
Protocolo busca retomada futebol nas quadras e sociedades esportivas

O modelo preventivo apresentado foi bem aceito pela FME, que buscará tratar com as autoridades do governo uma possibilidade de retomada.

“É bem interessante o que foi apresentado e se houver a liberação terá um ambiente com bastante restrições, para que possa reabrir com segurança”, frisou.

Publicidade
Últimas notícias

Covid-19: Confira o boletim epidemiológico desta quarta-feira (23)

Nas últimas 24 horas, 62 novos casos da doença foram registrados em Brusque São 25.814 os casos confirmados de Covid-19...
Publicidade
WhatsApp chat