No mês da radiodifusão, Jornal da Diplomata entrevista Marise Westphal e recebe Saulo Tavares, em entrevista ao vivo

Importância do rádio para a sociedade e história de um dos maiores radialistas do Estado nortearam o tema na edição deste sábado, do Jornal da Diplomata

Publicidade
Utilidade pública

Caros ouvintes, internautas! Dia 25 de setembro se comemora o dia da radiodifusão. E o rádio, este meio tão importante e antigo no contexto comunicacional do Brasil, segue se reinventando e jamais deixando de ser companhia ao ouvinte. Se até bem pouco tempo atrás a unanimidade era ouvir programas musicais ou noticiosos apenas pelo aparelho radiofônico, hoje o meio entendeu que é preciso ir além, através da convergência, para continuar chegando onde for necessário.

Nos dias atuais, o rádio se adapta com facilidade aos demais meios de comunicação modernos, como o celular, que, com sua versatilidade, conecta o mundo nos principais conteúdos audiovisuais.

O Rádio surgiu em nosso país, na verdade, no dia 7 de setembro de 1922, nas comemorações do nosso centenário de Independência. Roquette Pinto havia participado das missões empreendidas pelo General Cândido Rondon e sabia da importância do rádio para um país de extensão continental como o Brasil e é exatamente sobre essa importância que nos fala a empresária da Radiofusão, Marise Westphal Hartke, que também é diretora proprietária da Diplomata FM, emissora que esse ano chega aos 30 anos de fundação em novembro próximo, no dia 15.

Marise já foi presidente da Associação Catarinense das Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Estado de Santa Catarina (SERT/SC) e vice-presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Tv (ABERT), onde atualmente é Conselheira. Acompanhe entrevista realizada por Sergio Ferreira.

Sergio Ferreira entrevista Marise Westphal Hartke
Marise Wesphal Hartke, diretora proprietária da Diplomata FM. (Foto: Diplomata FM)

Saulo Tavares – o ícone do rádio brusquense

“O rádio para mim é terapia, além de profissão. E o radialista, não importa se é de AM ou FM, não importa a forma de comunicação, o radialista tem que continuar a ter ternura e emoção, tão primordial para quem exerce uma profissão.”

Entre os radialistas e radiodifusores do nosso Estado, está o ícone Saulo Tavares, aqui de Brusque. E é com ele que Sergio Ferreira conduziu um bate-papo para lá de descontraído e saudosista no Jornal da Diplomata deste sábado (19). Juntas no mesmo estúdio, as duas grandes vozes do rádio local relembraram tempos em que o rádio os proporcionou dividir experiências profissionais, partilharam memórias do rádio, desde os tempos de futebol a jingles musicais.

Falando sobre a carreira e da evolução do rádio, da qual viveu tudo com extremo capricho, responsabilidade e carinho, Saulo contou durante a entrevista ao vivo um pouco das transformações que presenciou como profissional do rádio. Saulo é radialista há 58 anos e durante toda sua vida profissional atua na Rádio Araguaia AM de Brusque, emissora que recentemente completou 74 anos de existência. Acompanhe a entrevista completa, conduzida por Sergio Ferreira!

Sergio Ferreira recebe Saulo Tavares, na entrevista especial do Jornal da Diplomata deste sábado. (Foto: Diplomata FM)
Publicidade
Últimas notícias

Guabiruba: Corpo de Bombeiros registra colisão entre moto e bicicleta

O Corpo de Bombeiros foi acionado para um acidente de trânsito, por volta das 18h10 desta segunda-feira, 10. A...
Publicidade
WhatsApp chat