Psicólogo do esporte avalia impactos na saúde mental dos atletas

Publicidade
Utilidade pública

O impacto da pandemia no esporte afetou a vida dos atletas em todo mundo. Antes mesmo do surgimento da Covid-19, profissionais que atuam na saúde mental passaram a ser incorporados nos ambientes esportivo, de modo que, os psicólogos fazem parte da gama de profissionais entre as comissões técnicas e no trabalho de coaching.

Dentro do contexto pandêmico, o psicólogo Gustavo Assi, consultor em psicologia do esporte, falou ao Jornal da Diplomata, para avaliar o quadro de desafios.

A pandemia afastou a normalidade das competições, principalmente pela falta do calor do público e se tornou um adversário incomum. Para Gustavo, mesmo com muitas incertezas, os atletas precisam manter o foco.  

“Eu acho que no aspecto geral vão conseguir na frente as equipes e atletas que conseguiram se manter minimamente preparados fisicamente e tecnicamente durante este período de afastamento”, frisa.

“Já atletas de base ou equipes sem apoio financeiro eles vão sentir mais essa diferença e sem dúvida vai influenciar bastante no psicológico”, frisou.

Atletas buscam superação em meio à pandemia

Conforme Assi, se tratando da rotina dos atletas, de modalidades que ainda não tiveram o retorno das competições, há muitos desafios, que podem gerar um esgotamento físico-mental. Mesmo que eles sejam dotados de uma resiliência maior, é preciso reconhecer limites e buscar por ajuda.

“O atleta e a equipe técnica precisam saber lidar com essa demanda, pois os níveis de ansiedade antes das competições estão elevados – isso exige muitos cuidados e será por um bom tempo. É interessante que se busque por auxílios psicológicos para que possam retornar mais seguros”, destacou.

Sobre a influência da psicologia do esporte, Gustavo diz que o reconhecimento dos profissionais que atuam na saúde mental na vida de atletas e das equipes é fruto da necessidade que se percebeu

“Veio se estabelecendo ao longo dos anos e acabou sendo muito visada em nível internacional; e neste momento ainda mais necessária, para manejar melhor o ambiente para diminuir ou aumentar a frequência de comportamentos – ansiedade, stress, depressão, emoções – que estão influenciando os atletas”, explicou.

Ajuda coletiva pode contribuir para diminuir efeitos da pandemia no esporte
Ajuda coletiva pode contribuir para diminuir efeitos da pandemia no esporte

No âmbito geral do esporte, da criança ao idoso, Gustavo chamou atenção para o impacto mental mais prejudiciais nas mulheres, crianças e idosos – em detrimento das condições financeiras, em contraste com as categorias profissionais adultos de maior condição financeira e de estrutura física.

“Acho que a modalidade feminina vai sentir bastante este retorno, pois já não tinha muitos recursos e apoios – embora tenha mudado, mas não o ideal, como deveria ser, e deve trazer consequências negativas, com para crianças e idosos”, finalizou.

Acompanhe a entrevista no link.

Entrevista com Gustavo Assi no Jornal da Diplomata

Publicidade
Últimas notícias

Prefeito fala sobre programação alusiva ao aniversário de Brusque

Com o tema “Brusque de famílias, histórias e conquistas”, a Prefeitura de Brusque realiza de 30 de julho até 8...
Publicidade
WhatsApp chat