Empresário sofre condenação por adquirir arma e munições sem a devida regularização

Outras notícias da semana

Confira o boletim epidemiológico desta sexta-feira

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou 283 novos casos confirmados de Covid-19 na cidade, nas últimas 24 horas. Conforme o último boletim epidemiológico...

Drive-Thru deste sábado é a garantia de sustento na casa de famílias carentes no período de férias

A Ação Social da Paróquia São Luís Gonzaga realiza neste sábado, 5 de dezembro, das 9h às 17h, mais uma edição do Drive-Thru do...

CDL Brusque e Prefeitura acendem as luzes de Natal nesta sexta-feira, 04

Diferente dos anos anteriores, em 2020 a Praça Barão de Schneeburg de Brusque não terá casa do Papai Noel, para evitar aglomerações devido a...

Prefeito eleito Ari Vequi fala sobre processo de transição e planos para Brusque

Na manhã desta quinta-feira, 03, o Jornal da Diplomata recebeu José Ari Vequi, prefeito eleito de Brusque, momento que ele falou sobre o início...

O juiz Edemar Leopoldo Schlösser, titular da Vara Criminal da comarca de Brusque, condenou um empresário por porte ilegal de arma de fogo. Segundo denúncia do Ministério Público, o homem foi preso em flagrante após denúncia de compra de uma arma calibre .38 em um bar localizado em cidade do Vale do Itajaí.

Ao chegar ao local, os policiais militares encontraram o revólver e 20 munições no interior do veículo do acusado. Na ocasião, segundo consta nos autos, ele relatou ter adquirido a arma de forma parcelada, pelo valor de R$ 1,1 mil, para efetuar “tiros esportivos”.

No depoimento em juízo, o acusado informou ter outras armas de fogo registradas, o que denota, segundo o magistrado, que ele tinha pleno conhecimento de que os artefatos bélicos que portava necessitavam da devida regulamentação.

“Denota-se que o acusado possuía higidez e capacidade suficiente para conhecer a ilicitude da conduta perpetrada, além de ser de conhecimento e amplamente divulgado que para portar arma de fogo e munições é necessário o registro. Aliás, falta de aparelhamento estatal não justifica que um cidadão adquira uma arma de fogo e munições, sob o argumento de que não tem conhecimento dos seus direitos e deveres”, cita o juiz em sua decisão.

O empresário foi condenado a dois anos de reclusão, em regime inicial aberto, e teve a pena substituída por uma restritiva de direitos (prestação pecuniária) e multa. O homem poderá recorrer da decisão em liberdade.

Últimas postagens

Coronavírus em SC: Novo decreto reforça medidas sanitárias para conter avanço da doença

Atendendo definições previamente estabelecidas em conjunto com prefeitos, demais Poderes e autoridades de Saúde, o Governo de Santa Catarina publicou na edição desta sexta-feira,...

Dois homens são presos em Brusque suspeitos de roubo em São João Batista

No inícios da noite de sexta-feira (4), no município de São João Batista, quatro homens portando armas de fogo roubaram uma quantia em dinheiro...

Obituário, 5 de dezembro de 2020

Central Funerária  – Faleceu às 19h47 de sexta-feira (4), com 91 anos, Avelina Maestri, que morava em Dom Joaquim. Velório na Capela de Dom...

Encontrada carteira com documentos.

Foi encontrada uma carteira com documentos em nome de Bruno Marques Ferreira, a mesma se encontra aqui na rádio Diplomata FM para retirada. ...

Nota da ABM Simesc sobre a COVID-19

GESTOS SIMPLES SALVAM VIDAS Após um período de redução no número de novos casos diários de infecção pelo coronavírus observado durante o mês de outubro...
Publicidade
WhatsApp chat