Comitê Gestor Covid-19 de Guabiruba decide pelo não retorno das aulas presenciais

Outras notícias da semana

Diretor da Secretaria de Saúde comenta novas estratégias de fiscalização nas denúncias contra a Covid-19

O Diretor da Secretária Municipal de Saúde, Rodrigo Cesari, esteve no Jornal da Diplomata, na manhã desta sexta-feira, 4. Diante do quadro gravíssimo para...

Delegado da DPCAMI fala sobre a campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres”

Na manhã desta quinta-feira (3), o Jornal da Diplomata recebeu o delegado titular da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI)...

Eleitores de 57 cidades voltam às urnas neste domingo no segundo turno

Após o resultado do primeiro turno das eleições municipais, ocorrido no último dia 15, eleitores de 57 cidades brasileiras irão retornar às urnas hoje...

Dois homens são presos em Brusque suspeitos de roubo em São João Batista

No inícios da noite de sexta-feira (4), no município de São João Batista, quatro homens portando armas de fogo roubaram uma quantia em dinheiro...

Em reunião realizada no início da tarde desta sexta-feira, 13, o Comitê Gestor Covid-19 de Guabiruba discutiu sobre a situação da pandemia em relação à possibilidade de retornar com as aulas presenciais na rede municipal de ensino. A decisão foi unânime pelo não retorno presencial, mantendo as aulas on-line até o fim do calendário escolar.

No início de novembro, Guabiruba – assim como todo o Médio Vale do Itajaí – subiu um nível na escala de risco, passando do alto para o grave. A situação acendeu um alerta nas secretarias de Educação e Saúde que já haviam concluído, junto com outros setores, o plano de contingência para o retorno presencial das aulas. O aumento alarmante de casos de Covid-19 não só em Guabiruba mas em todo o estado nos últimos dias fez com que os planos mudassem.

A Educação vem acompanhando os números da Covid diariamente e avalia a situação junto com a equipe técnica da Secretaria de Saúde. “Já éramos receosos com o retorno na matriz alta. Agora que estamos no grave somos totalmente contrários”, afirma. “Os estudantes convivem com pessoas do grupo de risco e no quadro atual é inegável que aulas presenciais aumentariam a contaminação”, considera.

A secretária de Saúde Patrícia Heiderscheidt apresentou os números demonstrando que o Médio Vale do Itajaí enfrenta neste momento a situação mais crítica desde o início da pandemia. Nos meses de setembro e outubro, o Centro de Triagem atendeu, respectivamente, 345 e 346 pessoas. Somente nos primeiros 12 dias de novembro já foram 371.

“Quando tivemos o primeiro pico, o aumento foi gradual. Desta vez, está sendo tudo muto rápido”, afirma. Em 48 horas, a quantidade de casos ativos quintuplicou passando de 14 no dia 10 para 58 no dia 12. “As UTIs dos hospitais Azambuja e Imigrantes estão quase lotadas. Não é possível voltar às aulas neste momento”, destaca a secretária.

Ela informou ainda que a região de abrangência da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (AMMVI) bateu o recorde de novos casos em 24 horas nesta semana, com 693 casos registrados em um único dia. Em Santa Catarina, são 14,2 mil casos ativos até a última quinta-feira, 12, com 72% de ocupação dos leitos de UTI da rede pública.

Matriz de risco

Na reunião, Patrícia explicou sobre o sistema de pontuação que classifica as cidades na matriz de risco. De 1 a 2 é alto, de 2.1 a 3 vai para grave e de 3.1 em diante, gravíssimo. De acordo com a secretária, neste momento o município está com a pontuação em 2.8. “Ou seja, estamos muito próximos do gravíssimo”, ressalta.

Baixo impacto pedagógico

Segundo Alfred Neto, caso as aulas presenciais retornassem na próxima semana, o resultado pedagógico seria praticamente nulo. “Não teríamos 30 dias de aulas. E além disso, conforme o plano de contingência, o retorno seria gradual, inicialmente para alunos com maior dificuldade. Nesse período, os professores teriam que se desdobrar entre aulas presenciais e on-line. Prejudicaria o trabalho de todos, professores e alunos”, explica.

A prefeita em exercício Rosita Kohler, que também é professora, concorda com o secretário de Educação. “O retorno causará mais disseminação da doença. O ano já está acabando. Quanto aos alunos com maiores dificuldades, se não foi possível fazer algo até aqui, não é agora que as coisas irão mudar. O retorno presencial é um risco para a saúde de todos”, pondera.

2021 indefinido

“Enquanto não houver uma vacina ou pelo menos um tratamento medicamentoso baseado em evidências científicas, nada estará seguro. Por isso é importante que todos tenham ciência que ainda não sabemos como será o retorno em 2021. Tudo precisará ser discutido e repensado”, frisa o secretário de Educação de Guabiruba.

Segundo ele, o Conselho Nacional de Educação já sinalizou positivamente para uma readequação curricular para o ano que vem a fim de que os alunos não fiquem com uma lacuna no conhecimento e também não atrasem sua formação. “Não vai ser fácil encontrar esse ponto de equilíbrio. Por isso, é importante não criarmos muitas expectativas e aguardarmos o desenrolar dos acontecimentos”, complementa.

Um decreto deverá ser publicado pela Prefeitura de Guabiruba nas próximas horas oficializando a decisão do comitê.

Cidade de Guabiruba. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Guabiruba)

Últimas postagens

Corpo de Bombeiros e PM são acionados para incêndio em veículo

Um veículo incendiado na manhã deste sábado, 5, na Rua Azambuja, movimentou o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar foram acionados. Ainda não...

Coronavírus em SC: Novo decreto reforça medidas sanitárias para conter avanço da doença

Atendendo definições previamente estabelecidas em conjunto com prefeitos, demais Poderes e autoridades de Saúde, o Governo de Santa Catarina publicou na edição desta sexta-feira,...

Dois homens são presos em Brusque suspeitos de roubo em São João Batista

No inícios da noite de sexta-feira (4), no município de São João Batista, quatro homens portando armas de fogo roubaram uma quantia em dinheiro...

Obituário, 5 de dezembro de 2020

Central Funerária  – Faleceu às 19h47 de sexta-feira (4), com 91 anos, Avelina Maestri, que morava em Dom Joaquim. Velório na Capela de Dom...

Encontrada carteira com documentos.

Foi encontrada uma carteira com documentos em nome de Bruno Marques Ferreira, a mesma se encontra aqui na rádio Diplomata FM para retirada. ...
Publicidade
WhatsApp chat