Brusque é considerado local de baixo risco para transmissão da dengue

Outras notícias da semana

Homem acusado como “tarado da Biz” é preso pela polícia no bairro Cedrinho

A Polícia Militar de Tijucas, juntamente com a Polícia Civil, cumpriu um mandado de prisão preventiva em Brusque, contra um homem de 27 anos,...

Luciano Hang, esposa e mãe do empresário são hospitalizados após diagnostico de Covid-19, dizem jornais

O empresário Luciano Hang está internado após ser diagnosticado com Covid-19. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 19, pelos principais jornais do país. De acordo...

Guabiruba inicia vacinação da Covid-19 ainda nesta semana, diz Secretaria de Saúde

Na noite de segunda-feira, 18, a Secretária de Saúde de Guabiruba, Amanda Kormann, participou de uma reunião com o Governo do Estado onde foram...

Dois homens são detidos por suspeita de tráfico de drogas

Dois homens foram detidos pela Polícia Militar na noite deste sábado, 16, no bairro Centro. Na abordagem veicular realizada pelo PPT foi localizado aproximadamente...

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) divulgou o resultado final do Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (Liraa), um método de amostragem que tem como objetivo o conhecimento de indicadores entomológicos de forma rápida. O levantamento foi realizado durante o mês de novembro, em 103 municípios do Estado.

De acordo com o boletim da Dive, Brusque continua sendo considerado local de baixo risco para transmissão de dengue, febre de chikungunya e zika vírus. Em 2020 Brusque encontra-se com quatro bairros considerados infestados: Santa Terezinha, Santa Rita, São Luiz e Nova Brasília.

Em Brusque, foram encontrados 14 focos, um em caixa d’água, sete em pequenos depósitos, dois em pneus, dois em lixo e outros dois em depósitos naturais. Durante a realização do LIRAa as atividades como armadilhas e pontos estratégicos são paralisados, mantendo apenas o tratamento em área infestada e o próprio Liraa. O resultado é semelhante ao da maioria do estado, onde os pequenos depósitos móveis foram predominantes em todas as regiões, com exceção de Joaçaba, Joinville e Videira, onde prevaleceu a identificação de lixo e sucata.

“Esses números vão nos ajudar a identificar o que precisamos priorizar. A gente conclui que, mais uma vez, precisamos que as pessoas se conscientizem de que cada um é importante no combate ao Aedes aegypti. Cada um precisa fazer sua parte para não acumular lixo nem deixar água parada”, aponta a coordenadora do programa de Combate a Endemias, Letícia Figueredo.

Últimas postagens

CDL Brusque orienta como identificar notas falsas de R$ 200

Com o objetivo de alertar o comércio local sobre o risco de circulação de notas falsas, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Brusque (CDL)...

Sine de Brusque tem mais de 100 vagas de emprego disponíveis

O Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Brusque conta, nesta quinta-feira (21), com 103 vagas de empregos disponíveis. Quem tiver interesse em uma das...

Defesa Civil de Brusque atualiza situação das chuvas

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Brusque atualizou, às 17h desta quinta-feira (21), o número de ocorrências atendidas no município em função...

Divulgado último boletim epidemiológico de Brusque

O novo boletim epidemiológico, divulgado nesta quinta-feira (21), aponta que Brusque tem 15.072 casos confirmados de Covid-19. Nas últimas 24 horas foram registrados 46...

Vereadores recebem treinamento sobre o Regimento Interno da Câmara e prática de sessão ordinária

Vereadores da Legislatura 2021-2024 participaram nesta quarta-feira, 20 de janeiro, no plenário da Câmara Municipal, de um treinamento sobre o Regimento Interno da casa...
Publicidade
WhatsApp chat