Publicidade

PM flagra estelionatário que aplicava golpe do “falso funcionário de banco” em Brusque

Outras notícias da semana

A Polícia Militar agiu rápido e conseguiu prender um homem suspeito de estelionato, nesta terça-feira, 15, em Brusque.

O caso envolve o golpe do “falso funcionário de banco”, que resultou na apreensão de cartões de crédito das vítimas e valores em dinheiro.

A primeira movimentação foi realizada pela PM nas imediações da rua Quintino Bocaiuva, próximo do Colégio Osvaldo Reis. No local um veículo foi abordado. O homem de 24 anos, que era o motorista de aplicativo, não tinha relação com o golpe. Segundo as informações, o suspeito se evadiu, ao perceber a presença da polícia. Pelo acompanhamento realizado, o estelionatário se deslocou até um hotel na região central, abordo de um veículo Fox.

Os policiais continuaram no monitoramento do caso e repassaram informações de que o suspeito estava em fuga, sentido à Itajaí. Através da troca de informações, uma guarnição da Guarda de Trânsito daquele município conseguiu realizar a abordagem e deter o suspeito.

Em posse do rapaz, foi encontrado um cartão bancário de uma vítima do golpe. Um dos extratos demostrava que já havia sido retirado da conta bancária, mediante várias transações o valor total de R$ 4.230,00 reais, bem como R$ 750,00 reais em espécie. O flagrante foi realizado na delegacia de polícia em Brusque.

Como funcionaÉ realizado um primeiro contato telefônico informando que o cartão do cliente está sendo utilizado para realizar uma compra de um televisor de mais ou menos 1.800,00 reais em uma determinada loja fora do Estado, que então a vítima informa que desconhece tal compra, que então o cartão deve ser bloqueado, que a vítima deve após esse primeiro contato ligar para o atendimento ao cliente, que o número se encontra no verso do cartão, que então a vítima desliga o telefone, ou seja, finaliza a ligação e pós isso liga na central, entretanto, mediante um aplicativo de nome Urla, o estelionatário continua na linha sem a vítima saber, que então espera um pouco e atende a ligação, que nesse novo contato é informado que o cartão foi bloqueado, que o cliente já pode contar o cartão ao meio e que após alguns minutos um funcionário do banco comparecerá para recolher o cartão, que então após ter o cartão em mãos, o estelionatário faz uso do mesmo em máquinas de cartão, direcionadas a uma conta digital.

Ato contínuo, os autores acima descritos foram conduzidos até a Delegacia de Polícia Civil de Brusque para adoção dos procedimentos cabíveis. É o relato.

Últimas postagens

Publicidade
WhatsApp chat