Médico psiquiatra e coordenadora de Saúde Mental falam sobre 18 de maio, Dia da Luta Antimanicomial

Data de mobilização busca mostrar que loucura não é vírus que demanda isolamento

Publicidade
Utilidade pública

A data de 18 de maio é reconhecida como Dia de Luta Antimanicomial e marca um movimento surgido na década de 80 entre profissionais de saúde, familiares e pacientes dos manicômios, que redigiram um manifesto denunciando os abusos e violação de direitos humanos sofridos pelos pacientes dentro daqueles espaços destinados aos pacientes psiquiátricos. Reivindicaram o fim desse tipo de tratamento e a instalação de serviços alternativos.

O movimento da Reforma Psiquiátrica  “Por uma Sociedade sem Manicômios” combate a ideia de que, pessoas com sofrimento mental devam ser isoladas e segregadas em manicômios e  defende  que, como todo cidadão,  estas pessoas tenham  garantidos seus direitos fundamentais de liberdade, de viver em sociedade, com cuidado e tratamento dignos.

Brusque tem atuado de acordo com estas diretrizes, reestruturando e implantando serviços que possibilitem o acolhimento e tratamento digno, através do acompanhamento contínuo e multiprofissional. 

Inajá Gonçalves de Araújo – Coordenadora dos programas da Saúde Mental de Brusque e o médico psiquiatra Dr. Rafael Franco participaram ao vivo do Jornal da Diplomata, concedendo entrevista Sérgio Ferreira.

Áudio entrevista com Inajá Gonçalves e Dr. Rafael Franco.
Publicidade
Últimas notícias

Boletim da Covid-19 deste sábado, 12, informa óbito e 70 novos casos

COVID-19 – Boletim epidemiológico 12 de junho 70 novos casos da doença foram registrados em Brusque nas últimas 24h O novo...
Publicidade
WhatsApp chat