Brusque contabiliza 1.183 focos de Dengue em 2021

Publicidade
Utilidade pública

Nos últimos 15 dias, a cidade registrou, 81 novos focos do mosquito Aedes aegypti

A Diretoria de Vigilância em Saúde de Brusque, por meio do Programa de Combate a Endemias, atualiza nesta terça-feira (18), os números da dengue e dos focos do mosquito Aedes aegypti na cidade.

O mais recente levantamento, que faz a atualização quinzenal das informações, demonstra que, de janeiro até agora, o município soma 1.183 focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika, entre outras doenças.

No levantamento anterior, divulgado em 04 de maio, os focos eram 1.102. Os números preocupam, especialmente, se comparados com os dados de 2020. Ao longo de todo o ano passado, Brusque totalizou 1.377 focos positivos do mosquito.

O bairro com maior número de focos é Águas Claras, com 109 notificações;seguido por Souza Cruz, com 87; Azambuja, com 77; Jardim Maluche, também com 77; Primeiro de Maio, com 75; Centro 1, com 71 e Santa Rita, que tem 70 focos identificados ao longo de 2021.

Com isso, atualmente, são sete os bairros brusquenses considerados infestados pela equipe técnica do Programa de Combate a Endemias.

Casos

Quanto aos casos identificados de dengue neste ano, até o momento, eles somam 12, quatro a mais em relação ao último levantamento. Todos os casos são autóctones, ou seja, as pessoas adquiriram a doença no próprio município. Há, ainda, cinco casos em investigação, aguardando resultados. E outros 38 casos suspeitos foram descartados, após resultado negativo na testagem.

Mutirão sábado em Azambuja

Também como forma de combater os focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti em Brusque, neste sábado (22), o Programa de Combate a Endemias em conjunto com a Secretaria de Obras, promove nova edição do mutirão de limpeza no bairro Azambuja, uma das áreas consideradas ‘infestadas’ pelo mosquito na cidade. As ruas que vão receber a ação estão sendo definidas ao longo da semana.

Drone e fiscalização conjunta

Outras duas importantes ferramentas complementam o trabalho feito pelos Agentes Comunitários de Endemias na linha de frente do combate à dengue em Brusque. A primeira delas é a vistoria aérea dos imóveis e terrenos do município, com o uso de um drone. A finalidade é ampliar a cobertura de atenção e verificar locais onde os agentes não conseguem ter acesso por terra para a verificação.

E a segunda, iniciada nesta semana, é a fiscalização conjunta dos Agentes Comunitários com a Vigilância Sanitária, ação que tem como alvo as recicladoras, borracharias, ferros velhos, depósitos de materiais, cemitérios e afins, locais identificados pela equipe técnica como “pontos estratégicos”. Isto porque nestes ambientes, tem sido considerável a identificação de reincidência nos focos positivos do mosquito.

“Precisamos que todo morador faça a sua parte e cuide de sua casa, terreno, imóvel, eliminando qualquer objeto ou material que permita o acúmulo de água, e que assim, possa servir de criadouro para o Aedes aegypti. Só com a união de esforços do poder público com toda a comunidade é que venceremos esta batalha contra a dengue”, finaliza a diretora de Vigilância em Saúde, Ariane Fischer.

Publicidade
Últimas notícias

Polícia Civil recupera televisão e notebook furtados em residência

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Furtos e Roubos de Brusque, recuperou uma televisão e um notebook,...
Publicidade
WhatsApp chat