Luís Fernando “Motorzinho” fala sobre paixão por travessias em mar aberto

Publicidade
Utilidade pública

Luís Fernando Farias, o Motorzinho, falou ao Jornal da Diplomata sobre os objetivos na carreira como atleta. Aos 16 anos, Luís vive grande fase na natação em mar aberto. Recentemente, se tornou o nadador sul-brasileiro mais jovem a completar a ultramaratona de 27km, no Desafio dos Mares. Também foi vice-campeão geral no Circuito de Travessias Águas Abertas, disputado em Ibiúna-SP, pela categoria Elite.

Praticando natação desde os nove anos, Luís Fernando, por orientação médica em função de um quadro de bronquite-asmática, o jovem descobriu paixão pelo esporte e chegou a integrar a equipe brusquense.

“Sempre gostei, desde pequeno ia para o mar, não tive medo, queria aprender”.

Na piscina, Luís Fernando começou forte no nado Crow, ganhando medalhas individual e revezamento.

A transição da piscina para o mar se deu forma experimental, durante uma sessão de treinamentos, para aperfeiçoar o nado. A primeira prova foi na Praia Central de Bombinhas, que conforme Luís Fernando, é a melhor para adaptação para quem pretende iniciar travessias.

“Nadei e gostei muito, mas tinha ainda o foco na piscina, porém logo peguei o gosto”.

Atleta Luís Fernando, o motorzinho, durante competição em Balneário Camboriú
Atleta Luís Fernando, o motorzinho (Foto/Arquivo Pessoal)

Aos poucos, as travessias foram se tornando a paixão do jovem, que conseguiu evoluir a cada prova, conhecendo mais sobre a mudança de correntes marítimas.

Atleta Luís Fernando após conquistas no circuito paulista (Foto: Divulgação)

“Meu nado sempre encaixou bem no mar, o resto foi experiência o desafio de vencer o medo”.

Sobre os objetivos futuros, Luís tem como meta chegar ao Campeonato Mundial e Olimpíada e se tornar salva-vidas, para manter conciliar trabalho e treino no litoral.

“Quero uma estante cheia de medalhas, já tem bastante, não posso reclamar”, frisou.

Sobre o apoio, Motorzinho destaca o apoio da família e patrocinadores.

“É todo um suporte, família é a base, tenho meu técnico e amigos nadadores que trocamos ideia, pensando nas estratégias, tudo ajuda”, destacou.

Sobre o apelido, surgiu durante os treinamentos.

“Quando comecei a ver já tinha estourado e a acabou ficando”, comentou.

Patrocionadores/Apoio: Luiz tem apoio da Sociedade Esportiva Bandeirante, dos técnicos Alexandre Kirilos, Roder Horner, e das empresas: Kolher Tinturaria, K-16, Milane Geradores, Novas Etiquetas, Paddock, Augusto Fischer Pinturas.

Publicidade
Últimas notícias

Covid-19: Brusque possui 125 casos ativos de Covid-19

Confira os números atualizados nas últimas 24 horas Com o registro de 15 novos casos nesta sexta-feira (17), a cidade...
Publicidade
WhatsApp chat