Presidente da Câmara de Vereadores de Brusque faz balanço das atividades de 2021

Alessandro Simas falou sobre a economia de quase 40% dos recursos disponíveis para a casa legislativa em 2021 e do polêmico projeto que autoriza contratação de novos assessores

Publicidade
Utilidade pública

A Lei Orçamentária Anual de 2021 (Lei Ordinária nº 4333/2020) previa uma destinação de até R$ 11,4 milhões (R$ 11.470.000,00) do Orçamento público do período para custear o funcionamento das atividades administrativas da Câmara Municipal de Brusque ao longo deste ano, como a remuneração de vereadores, servidores, prestadores de serviços, compra de materiais de expediente, manutenção de equipamentos e informática, entre outras.

Desse valor, a casa legislativa deixou de despender R$ 4,5 milhões (R$ 4.550.282,69), o que representa uma economia de 39,67% dos recursos que estariam disponíveis para o órgão. A quantia efetivamente empregada foi de R$ 6,9 milhões (R$ 6.919.717,31) ou 60,33% do total citado na lei.

A economia de R$ 4,5 milhões provém da quantia não requisitada pela Câmara à Prefeitura no decorrer do ano – R$ 4,2 milhões (R$ 4.270.000,00); mais R$ 280 mil (R$ 280.282,69) transferidos aos cofres do Poder Executivo nesta quinta-feira, 16 de dezembro.

Para falar sobre este e outros assuntos relacionados ao Poder Legislativo, o Jornal da Diplomata recebeu em entrevista ao vivo nesta sexta-feira, véspera de Natal, o presidente da Câmara, vereador Alessandro André Moreira Simas, em entrevista realizada por Sergio Ferreira!

Publicidade
Últimas notícias

Covid-19: Confira o boletim epidemiológico desta quarta-feira (26)

575 novos casos da doença foram registrados em Brusque nas últimas 24h Brusque registrou 575 novos casos de Covid-19 nas...
Publicidade
WhatsApp chat