De sorriso cativante e disposição para trabalhar: São João Batista se despede de ‘dona Dinha’, aos 108 anos

Bernardina Angeli Fagundes, a 'dona Dinha’, faleceu em casa na noite de domingo, aos 108 anos, no bairro Colônia

Publicidade
Utilidade pública

São João Batista perdeu, na noite de domingo, a sua mais idosa moradora. Bernardina Angeli Fagundes, a dona ‘Dinha’, como era conhecida, faleceu em casa, aos 108 anos de vida. Centenária, ‘dona Dinha’ ficou reconhecida no Estado, e fora dele, pela disposição em trabalhar e manter seu emprego até os últimos dias de vida.

A idosa nasceu em 1913, filha de Augusta Pera e do imigrante italiano Agostino Fidelle Angeli. Era a mais nova entre dez irmãos e cativava a todos com seu sorriso espontâneo e disposição para trabalhar e viver. Além de São João Batista, dona Dinha era uma das pessoas mais antigas de Santa Catarina.

A notícia do falecimento foi divulgada na noite de domingo. Ela faleceu às 20h30, em sua residência, na Estrada Geral de Colônia Nova Itália, onde morou a vida inteira desde o nascimento. Dona Dinha deixou três filhos, oito netos, nove bisnetos e demais familiares.

Tia Dinha, mulher guerreira que viveu fiel servindo a Deus. Hoje foi cear na casa do Pai. Restou para nós seu exemplo de mulher virtuosa, mãe carinhosa, serva de Deus“, descreveu Marisete Piva sobre dona Dinha, nas redes sociais.

Despedida

O velório está sendo realizado na Capela Mortuária de Colônia Nova Itália. O sepultamento acontece nesta segunda-feira (10), em horário a confirmar, no Cemitério São José, havendo antes missa de corpo presente na Capela São José de Colônia Nova Itália, em São João Batista.

De sorriso largo e simpatia singular, dona Dinha deixou legado de disposição e alegria para o trabalho. (Foto: Divulgação)
Publicidade
Últimas notícias

Sala do Empreendedor de Brusque concentra todos os serviços disponibilizados ao MEI

A Sala do Empreendedor – uma parceria entre o Sebrae SC e Prefeituras Municipais, foi criada para auxiliar a...
Publicidade
WhatsApp chat