19.8 C
Brusque
quarta-feira, junho 19, 2024
InícioNotíciasSegurança PúblicaDelegado detalha operação que prendeu suspeito de homicídio no bairro Limeira, em...

Delegado detalha operação que prendeu suspeito de homicídio no bairro Limeira, em 2022

Data:

Publicidade

spot_img
spot_img
spot_img

Investigação também aponta envolvimento da vítima no desaparecimento de um homem, que não foi mais visto desde maio do ano passado

Na tarde desta quinta-feira (9), a Polícia Civil de Brusque concedeu entrevista coletiva à imprensa para relatar os detalhes da operação que levou à prisão de um homem, suspeito pelo crime de homicídio contra Iranildo Formiga dos Santos, popular Iran, encontrado morto dentro de um veículo VW/Polo, no dia 6 de junho de 2022, no bairro Limeira. Ele tinha 37 anos e foi alvejado por diversos disparos de arma de fogo. Após sete meses de investigação, a polícia conseguiu identificar o principal suspeito pelo crime e sua prisão ocorreu em Porto Belo, na tarde de quarta-feira (8).

O homem ainda foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas, uma vez que foram encontrados em sua posse porção de maconha e apreendida uma balança de precisão em um dos imóveis onde foram cumpridas as buscas. Nesta operação a Polícia Civil, por intermédio da Divisão de Investigação Criminal – DIC de Brusque, com apoio da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) e Delegacias das Comarcas de Brusque e Porto Belo, cumpriram quatro mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva.

O caso

A operação é fruto da investigação iniciada em junho de 2022, logo após o crime ter sido cometido. O caso, à época, foi tratado como acidente de trânsito. Logo após a equipe de plantão e DIC chegarem ao local, constatou-se haver indícios de homicídio, o que se confirmou instantes depois com a retirada do corpo do interior do veículo. Ao longo de sete meses, em complexa investigação, a equipe da DIC de Brusque realizou uma série de atividades investigativas, cruzando informações, analisando dados, imagens, perícias, entre outras diligências não convencionais de investigação, culminando na identificação do suspeito preso na tarde desta quarta-feira. O veículo utilizado para cometimento do crime foi apreendido na operação, além de dispositivos e outros objetos que serão analisados pela equipe na continuidade da investigação.

Informações

Para dar mais detalhes sobre a complexa operação, o delegado responsável pela DIC, Alex Bonfim Reis, reuniu a imprensa na tarde desta quinta-feira (9), onde forneceu informações acerca do caso. Para Alex, o crime está elucidado, mas diversos fatos que vieram à tona durante a investigação tornam a ocorrência bastante complexa.

“Logo no primeiro momento, dentro do veículo Polo, foram encontrados aparelhos celulares e documentos em nome de uma pessoa chamada ‘Márcio’. O carro também estava em nome dele. Descobrimos que o Márcio, a quem pertencia o veículo, estava desaparecido desde o final do mês de maio de 2022, e desde o desaparecimento a vítima (Iranildo) estava usando o veículo de Márcio e, também, o telefone celular dele”, revelou Alex.

Com base nas informações colhidas, a polícia conseguiu identificar a existência de um elo, possivelmente ilícito, entre Márcio e Iranildo. “As investigações demonstraram que a última vez que o Márcio foi visto estava na companhia de Iranildo. E, desde então, Márcio não foi mais encontrado”, detalha o delegado. Além disso, desde a mesma data, Iranildo passou a usar o telefone de Márcio. “Inclusive, pouco tempo depois, o próprio Iranildo foi ao imóvel de Márcio em Itapema e se apropriou de diversos bens dele. Literalmente ‘limpou a casa de Márcio’. Tanto que quase todos os objetos que pertenciam a Márcio (TV, roupas, objetos pessoais), foram apreendidos na casa de Iranildo. A partir daí tínhamos uma pessoa que havia sido vítima por disparos de arma de fogo (Iranildo), e havia uma pessoa desaparecida e, ao que tudo indica, Iranildo seria o responsável pelo desaparecimento do Márcio”, apontou Alex.

Investigações paralelas foram sendo realizadas na tentativa de identificar quem era o responsável pela morte do Iranildo e tentar localizar o paradeiro de Márcio, que, até o momento, não foi encontrado, o que leva a polícia a acreditar que Iranildo tenha envolvimento no seu desaparecimento para se apropriar de seus bens. “Iranildo já havia sido investigado e denunciado por um crime de latrocínio, ocorrido em Brusque, em uma situação bastante semelhante ao desaparecimento de Márcio: ele havia feito uma negociação veicular e o proprietário do veículo foi encontrado morto entre Brusque e Canelinha, na Serra do Moura”, explicou.

Conclusão

Para o delegado, a investigação tomou um rumo bastante complexo após identificar que havia uma pessoa desaparecida e o suposto responsável pelo desaparecimento era a vítima do homicídio. Conforme Alex, foram feitas diligências de várias formas, com coleta de oitivas de testemunhas, além de diversas apreensões, recuperações de bens e objetos e, ainda, cumprimento de mandados de busca. “Após a investigação, com todos os elementos de convicção, uma vez identificado, de forma bastante robusta, que o condutor do veículo Hyundai i30 estava envolvido no homicídio do Iranildo, a Polícia Civil representou pelo mandado de busca e por mandado de prisão, e na quarta-feira, uma equipe de policiais de Brusque e Porto Belo, após oito horas, conseguiu localizar o suspeito e efetuar sua prisão”, finalizou.

No momento da prisão, o suspeito estava em posse de uma porção de maconha, e, também, de uma balança de precisão que foram apreendidos pela polícia.

Atualmente, ele encontra-se detido na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Brusque.

Delegado Alex Bonfim Reis, titular da DIC de Brusque. (Foto: Diplomata FM)
Publicidade
WhatsApp chat