15.4 C
Brusque
sexta-feira, julho 19, 2024
InícioNotíciasSaúdeSaúde mental: médica orienta sobre como voltar bem à rotina após as...

Saúde mental: médica orienta sobre como voltar bem à rotina após as férias

Data:

Publicidade

spot_img
spot_img
spot_img

Com dicas práticas, psiquiatra aconselha como aproveitar o restinho das férias e voltar à rotina da saúde mental e do corpo

Os cuidados com a saúde mental neste início de ano, quando as pessoas estão voltando das férias, ou outras ainda aproveitam mais alguns dias de descanso, merece uma atenção especial, pois as rotinas das famílias está cada vez mais acelerada.

Confira dicas da médica psiquiatra, Priscila Paegle de Souza, membro da Associação Brusquense de Medicina (ABM), para um bom retorno ás atividades após o período de férias. 

De acordo com a médica, é fundamental durante esse período, realizar programas em família que devem ser preservados durante todo o ano, além de determinar horários à mesa, ter hábitos saudáveis e começar a organizar os horários de escola e de trabalho para que todos saibam que fazem parte de uma família e precisam se ajudar. A comunicação é outro fator importante neste processo.

A psiquiatra lembra que, muitas famílias que ainda estão em férias, talvez estejam expostas a ambientes muito cheios, podendo gerar conflitos ou até mesmo durante o ano, quando moram com outros familiares. Fatores como desrespeito às diferenças e o maior consumo de bebidas alcoólicas podem ser um agravante para situações de estresse, por isso a necessidade de buscar formas de relaxar.

“Uma sugestão é um detox de telas, com momentos afastados de celulares, computadores e televisores”, sugere. “Estes também são bons momentos para interações, com momentos voltados para as artes como o canto, música, pinturas, desenhos, descobrir coisas novas”, reforça a médica. Ainda para esse período, ou quando temos uma maior proximidade da família, a psiquiatra recomenda que se aproveite mais os espaços abertos e atividades ao ar livre, passeios e esportes. Envolver os membros da família em jogos e atividades domésticas também pode ser uma forma de interação saudável.

Um protetivo às discussões, segundo ela, é o diálogo e a conversa, onde as pessoas possam externar sentimentos e frustrações, desapontamentos e mágoas, porém, em uma atitude de respeito, sem elevação da voz, sem palavrões ou palavras onde a pessoa vá ser desvalorizada. “Estimular um diálogo aberto e tranquilo”, orienta. Segundo ela, caso a interação chegue em um tópico difícil, também é possível interromper para retomar em um novo momento.

Autoconhecimento e atenção à rotina

A médica destaca o papel do autoconhecimento para uma melhor saúde mental e lidar melhor com momentos de ira, controle e reconhecimento dos limites físico e emocional. A busca de um profissional especializado no processo também pode ajudar no processo. “Existem tipos de descontroles físicos e emocionais que já estão dentro do limite patológico e podem necessitar de psicoterapias e medicações”, afirma.

O cuidado com elementos como o sono e a alimentação também são indicados pela médica membro da Associação Brusquense de Medicina – ABM. No caso das horas de descanso, ela salienta que é importante atentar para a demanda de horas de cada faixa etária. Já para a alimentação, a prioridade deve estar em proteínas, frutas, verduras e grãos, reduzindo a presença de carboidratos, fast-food e massas.

A psiquiatra também reforça a necessidade de socialização, como tópico importante para se atentar nesta época do ano. Estar em atividades com outras pessoas, também é um fator protetivo para a saúde mental. Jogos de tabuleiro, atividades ao ar livre, brincadeiras entre os membros da família ou mesmo desafios e atividades em conjunto “A saúde emocional nunca está relacionada a um só fator”, comenta.

Publicidade
WhatsApp chat