16 C
Brusque
sábado, julho 13, 2024
InícioNotíciasGeralLuciano Hang e Havan se manifestam em nota oficial após condenação da...

Luciano Hang e Havan se manifestam em nota oficial após condenação da 7ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho

Data:

Publicidade

spot_img
spot_img
spot_img

Por decisão da 7ª Vara do Trabalho de Florianópolis do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), proferida pelo juiz Carlos Alberto Pereira de Castro, o empresário Luciano Hang e a rede de Lojas Havan foram condenados ao pagamento de R$ 85 milhões por assédio eleitoral, sob acusação de coagir funcionários na véspera das eleições de outubro de 2018.

Em face da sentença, o empresário e a Havan se pronunciaram através de uma nota oficial, que segue na integra.

NOTA OFICIAL

O empresário Luciano Hang classifica como descabida e ideológica a decisão de primeira instância da Justiça do Trabalho em Florianópolis que condenou a Havan ao pagamento de multas e indenização por dano moral coletivo em ação civil pública ajuizada em 2018.

“É um total absurdo. Inclusive, na época dos acontecimentos foram feitas diversas perícias nomeadas pela própria Justiça do Trabalho e nada ficou comprovado, não houve irregularidades. O juiz deveria seguir as provas, o que não fez, seguiu a sua própria ideologia. Mais uma vez o empresário sendo colocado como bandido”, afirma.

Ele ressalta que todas as ordens e decisões da Justiça foram cumpridas, com informações levadas a todos os colaboradores sobre a livre expressão do voto, com o envio de mala direta no e-mail dos colaboradores e colocado no display eletrônico de cada loja.

“Tudo foi feito de modo a garantir a liberdade dos colaboradores. Afinal, temos até hoje em nosso quadro, colaboradores de várias outras ideologias políticas. Aliás, importante lembrar que o voto é secreto e cada um votou conforme sua convicção”, diz o empresário.

Hang destaca ainda que a denúncia não partiu de colaboradores, mas sim de agentes públicos com militância política e sindicatos. “Estamos tranquilos e vamos recorrer da decisão, afinal, nada foi feito de errado e isso já havia sido comprovado lá atrás. Ainda acreditamos na Justiça brasileira”.

Crédito Foto: Crédito: Assessoria de Imprensa/Havan

Publicidade
WhatsApp chat