23.1 C
Brusque
domingo, abril 14, 2024
InícioNotíciasGeralConselho de Cultura trabalha para formação das câmaras temáticas, em vista da...

Conselho de Cultura trabalha para formação das câmaras temáticas, em vista da construção do Plano Municipal

Data:

Publicidade

spot_img
spot_img
spot_img

O Conselho Municipal de Cultura iniciou 2024 focado em trabalhar na atualização do Plano Municipal de Cultura, para nortear as demandas de segmentos culturais nos próximos cinco anos em Brusque. O conjunto das ações prevê primariamente pela aprovação da Lei do Sistema Municipal de Cultura, que dará ao município o credenciamento para captação de recursos, muitos deles voltados para setores da na cena cultural, além de traçar um horizonte democrático para vertentes culturais de segmentos já consolidados e de outros que carecem de expressão.

A conselho formado por agentes de segmentos culturais diversos, e por representantes governamentais, trabalha em aproximação com a Fundação Municipal de Cultura, em caráter consultivo/deliberativo, a fim de mapear as demandas latentes.

Para incorporar o amplo debate em torno das propostas que vão compor o Plano Municipal, em face da Lei do Sistema, o conselho municipal está em campo para convocação das câmaras temáticas, com representantes de segmentos culturais.

Sendo assim, conforme o primeiro secretário do Conselho, Francisco Scorupa, estimular a participação dos atores/agentes culturais nas câmaras temáticas é de fundamental importância no plano global.

“Temos um plano que ficou às margens nos últimos anos e não foi atualizado. Os debates a partir das câmaras temáticas vão reunir temas específicos e serão incorporados no novo plano e assim ter políticas mais consolidadas e claras das atividades que poderão se desenvolver no campo da cultura”, explicou Scorupa.

Conforme o presidente do Conselho Municipal de Cultura, Alexandre de Souza, o trabalho atual da nova gestão, empossada em meados de 2023, tem buscado ampliar o debate cultural, e entende que o Plano Municipal será uma via democrática e desenvolvimento.

“As câmaras temáticas ampliam a participação de quem produz cultura, o que permite que todos os setores participem”, comentou.

O Conselho de Cultura – CMC coloca em debate os temas, deliberando ações com a Fundação Municipal. Por sua vez, as câmaras temáticas servirão de ressonância para as demandas em movimento. Sendo assim, o conselho tem procurado fortalecer o vínculo com os segmentos culturais para a participação no debate, muitos deles ainda não organizados no município.

A proposta, além do debate, é ofertar a possibilidade, por meio de ações de acessibilidade e capacitação, a formação de projetos para captação de recursos destinados ao fomento cultural, seja na esfera municipal, estadual ou federal.

“A cultura é atividade humana, e é importante que a cidade tenha uma diretriz que se volte para o campo cultural, que também é fator do movimento econômico. Estruturar essa política é de fundamental importância”, finalizou Francisco.

Acompanhe o link da entrevista concedida ao Jornal da Diplomata.

Publicidade
WhatsApp chat