13.3 C
Brusque
terça-feira, julho 23, 2024
InícioNotíciasSegurança PúblicaInvestigação da Polícia Civil aponta que esposa de Edinei da Maia contratou...

Investigação da Polícia Civil aponta que esposa de Edinei da Maia contratou criminoso para matar o marido

Data:

Publicidade

spot_img
spot_img
spot_img

O delgado Alex Bomfim Reis concedeu entrevista coletiva para dar detalhes envolvendo a morte de Edinei da Maia, 30 anos. A linha de investigação inicia desde o desaparecimento registrado na delegacia, no dia 22 de fevereiro deste ano, pela esposa, Elisa Zierke dos Passos da Maia, presa nesta sexta-feira, 21, na operação Viúva Negra.

A primeira fase da operação teve como ponto chave a localização do veículo Honda Civic, na cidade de Palhoça, carro pertencente à vítima. Mediante diligências, a DIC cumpriu, com autorização do Poder Judiciário, mandados de buscas domiciliares e prisões temporárias. Na última segunda-feira, 17, policiais prenderam duas pessoas temporariamente após o trabalho de buscas nas cidades de Indaial, Blumenau, São José e Palhoça. Os rastros levaram à polícia a identificar os dois envolvidos que estavam com o referido carro e que tiveram participação na morte de Edinei, culminando com a localização do corpo, encontrado no último sábado, 15, no Morro do Gavião, no Moura.

Com elementos probatórios, a Polícia Civil apurou que a esposa de Edinei, Elisa da Maia, contratou os dois envolvidos que estavam com o automóvel para executar a morte do empresário.

“Compreendido os fatos, foi quando a gente conseguiu provas que a esposa contratou ‘matadores de aluguel’ para execução”, esclareceu o delegado Alex Bomfim Reis.

Em seguida foi representada por novas buscas e mandados de prisão temporária. Documentos e uma arma de fogo foram apreendidos e fazem parte do inquérito policial.

O delegado Alex Bomfim destacou que a linha investigativa traçou a alegação de Elisa da Maia à polícia, na qual ela teria apontado como um dos motivos de contratar a morte do marido, teria sido agredida por ele e que Edinei teria abusado sexualmente de crianças.

No entanto, o delegado Alex disse que a Polícia Civil descarta as acusações, mediante o trabalho de diligências apuradas ao longo do curso investigativo.

A contratação

Conforme a Polícia Civil, Elisa da Maia contratou um “matador de aluguel” e este por sua vez, negociou com comparsas para ajudar na execução do crime.

O Plano

Em união de esforços, o grupo inventou um plano para resultar no deslocamento de Edinei até a cidade de Vidal Ramos, no dia 22 de fevereiro, às 5h; quando o empresário chegou foi rendido pelos criminosos, sendo amarrado e levado no próprio veículo até o Morro do Gavião, divisa entre Brusque, Camboriú e Canelinha, onde os comparsas já estavam no local.  Os autores do crime foram para dentro da mata em local ermo, adentrando cerca de 6 metros.  

Chegando ao ponto determinado, Edinei foi morto violentamente, com golpes – o instrumento utilizado não está esclarecido pela investigação. Em seguida o corpo da vítima foi enterrado no local.

“De forma clara, foi um crime premeditado, inclusive a cova já estava aberta, (os criminosos foram ao local dias antes) e inclusive fizeram um ‘churrasco’, enquanto cavavam, para dias depois cometerem o crime”, explicou o delegado.

Com a prisão dos envolvidos, a Polícia Civil dará sequência no inquérito para apurar a participação dos suspeitos nas circunstâncias do assassinato. Sendo assim, a investigação tem como suspeita que a real motivação possa estar relacionada nas intenções de Elisa, que por esta insatisfeita no relacionamento, arquitetou o plano

“Tudo indica que era uma questão financeira, uma pessoa que estava insatisfeita no relacionamento, mas que queria se separar (como uma pessoa normal) e optou por uma forma criminosa de encerrar no relacionamento e permanecer com os bens da família”, comentou delegado Alex.

Publicidade
WhatsApp chat