Descarte irregular de lixo ainda é um problema a ser resolvido em Brusque

São computadores, televisores, eletrodomésticos, utensílios domésticos, restos de jardinagem e de construção.

Outras notícias da semana

Caminhão guincho atinge poste na Rua Florianópolis

Um caminhão guincho atingiu um poste de energia elétrica, de grande porte, na madrugada desta sexta-feira, 27. A colisão provocou queda no fornecimento de...

Coordenador do Núcleo Têxtil da AMPEBr fala sobre missão técnica no Mato Grosso

Entre os dias 11 a 13 de novembro, a Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região (AmpeBr) integrou uma missão técnica...

Campanha arrecada roupas e alimentos para família que teve casa atingida por incêndio

Moradores de Brusque e região estão arrecadando roupas e comida para doarem à uma família que teve a casa destruída por um incêndio nesta...

Diretor da Fundação Cultural fala sobre projetos habilitados através da Lei Aldir Blanc

O resultado da fase de habilitação do edital para a distribuição dos recursos da Lei de Emergência no município de Brusque, já está disponível...
Descarte irregular de lixo
Parece até cena montada. Flagra na rua Monsenhor José Loch, entre os bairros Cedrinho e Zantão. (Foto: Diplomata FM)

População e empresas ainda utilizam acessos de ruas isoladas para descarte irregular de lixo

Uma realidade que parece estar longe de ter fim. Basta passar por algumas ruas isoladas de Brusque, em bairros mais distantes do Centro, que logo vem um amontoado de materiais, incluindo restos de construção civil, que são deixados ao tempo. São computadores, televisores, eletrodomésticos, utensílios domésticos, restos de jardinagem e de construção.

Os materiais estão depositados, geralmente, às margens das vias, principalmente acessos de transversais que ligam um bairro ao outro, entre eles a travessa que liga os bairros Limeira e Poço Fundo, a travessa que liga os bairros Nova Brasília e Limeira, também há ponto de depósito entre os bairros Rio Branco e Lageado – Guabiruba. Um dos mais antigos e alvo de constantes reclamações fica na rua Monsenhor José Loch, entre os bairros Cedrinho e Zantão, conforme foto de capa desta matéria.

Além da poluição visual e ambiental, o lixo que é deixado nestes locais oferece risco. São vidros de remédios vazios, materiais cortantes, produtos químicos, pregos, entre outros materiais que oferecem risco de contaminação e agressão ao meio ambiente. Sem contar que, por vezes, até mesmo animais são abandonados nestes pontos.

Apesar do esforço em realizar a limpeza do local, o poder público entende que a colaboração humana precisa ser constante – desde o não despejo de materiais às denúncias que podem levar a identificação de quem comete tal ato. O descarte irregular é considerado crime, e qualquer cidadão pode denunciar, caso flagre uma ação.

A Secretaria de Obras realizou uma campanha em 2018, juntamente da Fundema, mas, infelizmente, a prática de descartar lixos a céu aberto em Brusque tem sido uma constante e que se repete por anos. “Tão logo chega ao nosso conhecimento sobre descarte irregular de entulhos, nossa equipe vai ao local, recolhe os entulhos e dá a destinação correta”, explica Ricardo de Souza, responsável pela Secretaria de Obras.  “Cuidar da cidade deverei ser uma tarefa de todos nós”, cita.

Vídeo produzido pela Secretaria de Obras aponta locais onde há descarte irregular de lixo. (Vídeo: Secretaria de Obras)

Para Cristiano Olinger, Superintendente Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema), tudo se trata de educação ambiental. É preciso ter consciência. “A gente sabe que também não são só pessoas particulares, tem algumas empresas, até de terraplanagem, que fazem retirada de resíduos de construção e que, pela lei, obrigatoriamente, eles teriam que estra dispondo em aterros para este fim”, relata. O fator ‘custo’ impede que as empresas deem a finalidade correta dos resíduos, e acabam despejando em locais ermos da cidade.

Um levantamento feito em 2018 pela Fundação do Municipal do Meio Ambiente (Fundema), apontou que os pontos mais críticos de descarte irregular de lixo estão localizados na rua do Fogo (do bairro Nova Brasília ao bairro Limeira), na travessa entre os bairros Zantão e Cedrinho, na popular rua da Fazenda, localizada no bairro Rio Branco, entre outros pontos, conhecidos por não ter tanta circulação de pessoas e veículos.

Olinger lembra que todo lixo que as pessoas descartam irregularmente, no final, irá acabar no rio. “Mesmo que as vezes ele não esteja tão próximo do rio, vai para drenagem, ou vai assorear a própria drenagem, causando alagamentos, ou ele vai, através da drenagem, cair no rio”, comenta.

Lixo na rua Benjamim Beber-Limeira (
Acúmulo de Lixo é visto na rua Benjamim Beber, entre os bairros Nova Brasília e Limeira. (Foto: Diplomata FM)


Fiscalização, notificação e multa

Cristiano Olinger ressalta que a Fundema fiscaliza, mas a população precisa colaborar. Qualquer pessoa que for flagrada colocando resíduos em lugar indevido é fiscalizada, notificada e multada. Todos os resíduos sólidos precisam ser dispostos corretamente no local devido.

Confira os registros feitos pela reportagem nesta quinta-feira, 7!

Últimas postagens

Philarmonia Brusque lança no dia 6 de dezembro o Camarote Virtual com clipes natalinos

Depois de muitos ensaios, captura de imagens e gravações em estúdio, a Philarmonia Brusque está com tudo pronto para o lançamento do Camarote...

Entidades realizam reuniões com oficial interventora do Registro de Imóveis e juiz corregedor para debater melhorias e celeridade nos processos

A última semana de novembro foi marcada por duas reuniões importantes na cidade de Brusque, em que o tema principal gerou em torno dos...

Diretoria do Brusque concede coletiva para reafirmar ações e parcerias

Na tarde de quarta-feira, 26, Danilo Rezini, presidente do Brusque FC, concedeu entrevista coletiva para a imprensa regional para falar sobre o trabalho realizado,...
Publicidade
WhatsApp chat