Metalúrgicos de Brusque rejeitam contraproposta de reajuste dos empresários

Outras notícias da semana

Bandeirante inicia reforma da sede esportiva do clube

Iniciou nesta semana a reforma da sede esportiva da Sociedade Esportiva Bandeirante, onde são realizadas as confraternizações do futebol. Semanalmente, o futebol movimenta cerca...

Brusque vence na estreia do Campeonato Brasileiro CBB

O Brusque Basquete/FME/Aradefe/Trimania largou com o pé direito no Campeonato Brasileiro da CBB. Jogando em Ponta Grossa, no Paraná, a equipe brusquense superou o...

Benetex: Corpo de Bombeiros continua com equipes no combate ao incêndio

O Corpo de Bombeiros informou que mantém o trabalho de combate ao incêndio na empresa Benetex, que teve início por volta das 19h20 desta...

Polícia Civil realiza operação contra o tráfico de drogas

Na tarde desta sexta-feira, 19, a Polícia Civil, por intermédio da Divisão de Investigação Criminal - DIC de Brusque, realizou a prisão de um...

O auditório do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque (Sintimmmeb) recebeu neste domingo, 19 de maio, a Assembleia Geral Ordinária da Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020, para discutir a contra proposta do sindicato patronal. O presidente do Sintimmmeb, Eduardo de Souza, explanou os itens aos trabalhadores e apresentou a proposta dos patrões. 

Após duas intensas rodadas de negociações entre o sindicado dos trabalhadores e o patronal, a proposta apresentada pelos empresários foi de 5,30% de reajuste (o INPC – Índice Geral de Preços ao Consumidor – dos últimos doze meses, de 5,07%, mais aumento real de 0,23%), piso da categoria, plano de saúde e prêmio assiduidade abaixo da inflação, além da limitação do pagamento de 50% de medicamento com receita médica às esposas dependentes.

Posto em votação, os trabalhadores presentes rejeitaram a proposta de reajustes nessas condições,os demais itens abaixo da inflação e também a regra de limitar o pagamento de 50% de medicamento com receita médica às esposas dependentes, sugerido pelos empresários. 

“A diretoria entende e os trabalhadores decidiram que reajustar esses itens abaixo da inflação não é viável. Até porque isso retira dos trabalhadores o sustento do dia a dia, com alimentação, vestimenta, moradia, inclusive com a saúde nossa e de nossos familiares. Limitar o benefício de pagamento de 50% do medicamento às esposas dependentes, como foi proposto não é justo. Porque a esposa que busca fazer um bolo, um doce pra vender, ou outro tipo de atividade para complementar a renda, não faz porque quer, mas porque precisa. E retirar esse direito, no momento em que mais se precisa, seria uma grande injustiça”. 

Agora, as reivindicações serão encaminhas ao sindicato patronal para continuidade das negociações da Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020.

Últimas postagens

Prefeitura de Guabiruba registra 24º óbito pela Covid-19

A Prefeitura de Guabiruba informa, com pesar, o 24º óbito pela Covid-19 no município. Trata-se de uma mulher de 34 anos que possuía hipertensão...

Rua Itajaí será interditada a partir desta quinta-feira (25)

Ação é necessária para a troca de tubulação e ligação de esgoto A rua Itajaí vai ser interditada a partir desta quinta-feira (25), a via...

Covid-19: Confira o boletim epidemiológico desta quarta-feira (24)

Nas últimas 24 horas foram registrados 56 novos casos da doença e 1 óbito O novo boletim epidemiológico, divulgado nesta quarta-feira (24), aponta que Brusque...

Técnico do Carlos Renaux fará estágio no Metropolitano durante o Estadual

Técnico do Carlos Renaux fará estágio no Metropolitano durante o Estadual Time de Blumenau também terá dois jogadores do Vovô na equipe que disputa o...

Polícia Militar prende homem por tráfico no Limoeiro

A Polícia Militar em patrulhamento pelo bairro Limoeiro, avistou dois homens em atitude suspeita, na condução de uma motocicleta. Foi realizada abordagem na região...
Publicidade
WhatsApp chat