Prefeito de Botuverá fala sobre o Mais Médicos e a 27ª Festa Bergamasca, no Jornal da Diplomata

Publicidade
Utilidade pública

Prefeitos de municípios da região estão preocupados com as mudanças no Programa Mais Médicos, promovidas pelo Governo Federal. A AMMVI (Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí) e a FECAM – Federação Catarinenses dos Munícipios), estão mobilizadas em torno do assunto, com apoio da Frente Parlamentar.

O prefeito de Botuverá, José Luiz Colombi, o Nene, membro da comissão de saúde na Ammvi, falou sobre tema ao Jornal da Diplomata, na manhã desta segunda-feira, 26.

Nene explicou que os editais de contratação preveem cada vez menos vagas para médicos cubanos. Outra informação dada é de que há previsão de esvaziamento em pelo menos 95% de médicos cubanos no território catarinense – o que restaria o funcionamento do programa somente em cinco cidades.

“Nós teríamos um prejuízo de R$ 14 milhões se esses médicos saírem e não ser mais contratados pelo governo e as prefeituras tiver que contratar, então essa é a nossa preocupação”, disse Colombi.

A mobilização pela manutenção do Programa Mais Médicos chegou à Justiça, através de uma ação civil pública impetrada na semana passada pelo Ministério Público Federal de Santa Catarina contra a União. Os movimentos ligados a FECAM e AMMVI solicitaram para fazerem parte da ação.

De acordo com os dados divulgados na imprensa, há 135 vagas não preenchidas – para um total de 571, o que está afetando o atendimento em comunidades distantes.

“Para reforçar e fazer com que esse programa não termine, já temos problemas com médicos, dificuldade com preocupação e esses médicos dão uma atenção muito boa para nossa população”, disse Nene.

Em Brusque são 14 vagas, sendo 9 ocupadas. Enquanto que o município de Botuverá conta com uma vaga e Guabiruba com 4, comentou o representante da Ammvi.

Nene Colombi destaca preocupação das prefeituras com futuro do Mais Médicos
Nene Colombi destaca preocupação das prefeituras com futuro do Mais Médicos

27ª Festa Bergamasca – de 7 a 9 de junho

O prefeito de Botuverá, Nene Colombi, também destacou os preparativos para a tradicional festa bergamasca. A primeira edição aconteceu em 1992. Na sexta-feira, 7, após a missa de abertura será realizado o tombamento e degustação da Polenta Gigante. Logo após acontece a escolha da rainha da festa, sempre com muita música e grupos folclóricos.

No sábado, 8, a noite termina com o show Carlos Magrão e Band.

No domingo, 9, o dia começa com a tradicional missa celebrada no dialeto ítalo-bergamasco, com o Coral Giuseppe Verdi, da Igreja Matriz São José. Ao longo do dia, muita música, danças folclóricas e gastronomia.

“Essa é uma festa que muitas pessoas saíram do município e retornam para se divertir e rever os familiares, mas, convidamos toda população da região para estarem conosco”, destacou o prefeito.

As festividades se concentram no salão da Igreja Matriz São José.

Entrevista do prefeito de Botuverá, José Luiz Colombi, no Jornal da Diplomata.
Publicidade
Últimas notícias

Nota da Defesa Civil alerta para frio intenso na próxima semana

Defesa Civil divulgou nesta sexta-feira, 23, uma nota meteorológica sobre mudança das condições climáticas de tempo e onda de...
Publicidade
WhatsApp chat