Rafael Fantoni, acusado pela morte do policial Everaldo, é condenado a mais de 23 anos de prisão

Rafael Fantoni, acusado pela morte do policial Everaldo, é condenado a mais de 24 anos de prisão

Publicidade
Utilidade pública

O Juiz da Vara Criminal da Comarca de Brusque, Dr. Edemar Leopoldo Schlöser, através da sua Assessoria Criminal, divulgou nesta sexta-feira a sentença condenatória envolvendo o réu Rafael Fantoni, 30 anos, preso pelo crime de latrocínio que vitimou o policial militar Everaldo Soares de Campos em 11 de setembro de 2017, enfrente uma cooperativa de crédito em Guabiruba.

De acordo com informações repassadas pela Assessoria Criminal, o acusado foi sentenciado nesta sexta-feira (19), e condenado à pena de 23 anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial fechado. Não foi concedido a Fantoni o direito de recorrer em liberdade, razão pela qual permanece recolhido na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Brusque.

Prisao em Itajai em marco de 2019
Fantoni foi preso dia 7 de março deste ano, em Itajaí, em razão de mandado expedido pela Comarca de Brusque. (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Os demais acusados já foram julgados e condenados pela Vara Criminal da Comarca de Brusque, em sentença prolatada no dia 25 de abril de 2018, conforme já divulgado pelo Jornal da Diplomata.

Sobre o caso

Fantoni, com 28 anos de idade na data dos fatos, atualmente recolhido na Unidade Prisional Avançada local, foi denunciado pelo Ministério Público, junto com Alessandro Lussoli, Jhonatan Silveira Machado, Mário Sérgio Faust e Olmiro Dias Severo, pela prática do crime contra a vida de Everaldo Soares de Campos.

Conforme a sentença, segundo se apurou da investigação criminal, a vítima Everaldo Soares de Campos, Cabo da Polícia Militar, realizava o transporte de malotes com valores do estabelecimento comercial ‘Supermercado Carol’ até a agência Bancária Sicoob, do município de Guabiruba, sempre que necessário e desde que estivesse de folga do seu trabalho na Polícia Militar, circunstância que era de conhecimento de várias pessoas, inclusive dos denunciados, que arquitetaram todo o plano contando com este detalhe.

Naquela data, Everaldo transportava o malote com os valores do referido à agência bancária, situada na rua Vereador Erico Truppel, Centro, na cidade de Guabiruba, e ao chegar em seu destino, foi surpreendido pelos criminosos armados que já o espreitavam sem que ele soubesse.

Ele foi atingido por sete disparos que tiraram sua vida.

Publicidade
Últimas notícias

Delegados Fernando de Faveri e Alex Bonfim Reis colocam cargos à disposição, em apoio ao movimento contra a Reforma da Previdência

Os Fernando de Faveri e Alex Bonfim assinaram um documento em que colocam os cargos à disposição da chefia...
Publicidade
WhatsApp chat