Procon alerta sobre cobrança ilegal de taxas a alunos com deficiência

O objetivo da medida é informar e orientar os consumidores catarinenses.

Outras notícias da semana

Benefícios do INSS acima de um salário mínimo têm reajuste de 5,45%

O Ministério da Economia publicou hoje (13) no Diário Oficial da União (DOU) portaria que oficializa o reajuste de 5,45% das aposentadorias e benefícios acima de um...

Carlos Renaux massacra o Orleans e está na Série B do Estadual

O Clube Atlético Carlos Renaux vai jogar o Campeonato Catarinense da Série B em 2021. O Vovô do futebol catarinense garantiu a vaga após...

Boletim epidemiológico de Brusque

O novo boletim epidemiológico, divulgado neste sábado (16), aponta que Brusque tem 14.806 casos confirmados de Covid-19. Nas últimas 24 horas foram registrados 51...

Covid-19: Boletim deste domingo (17) confirma dois novos óbitos

Nas últimas 24 horas foram registrados 55 novos casos de Covid-19 e dois óbitos O novo boletim epidemiológico, divulgado neste domingo (17), aponta que Brusque...

O Procon de Santa Catarina emitiu uma nota técnica para alertar sobre a prática abusiva de escolas e creches particulares de cobrar um valor diferenciado nas mensalidades para pessoas com deficiência. O objetivo da medida é informar e orientar os consumidores catarinenses.

Além de ser ilegal, a cobrança destas taxas pode gerar uma indenização para a família, a título de reparação moral. A suspensão deste tipo de cobrança está amparada pela Lei Brasileira de Inclusão n° 13.146/2015. A legislação ressalta que “está vedada às instituições privadas de qualquer nível e modalidade de ensino de cobrança de valores adicionais de qualquer natureza em suas mensalidades, anuidades e matrículas no cumprimento dessas determinações”.

Alguns estabelecimentos ainda realizam esta prática sob a alegação de utilizar os valores para custos extras, tais como acompanhantes e adaptações de materiais didáticos. Porém, esses custos contrariam os dispositivos legais e não são aceitos pelo órgão estadual.

A pessoa com deficiência tem o direito de estudar, seja na rede privada ou pública de ensino, sem nenhuma cobrança adicional de qualquer valor. A elevação do valor da mensalidade ainda é vedada pelo Código de Proteção e Defesa do Consumidor – CDC, que fala sobre exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva, e art. 51, sobre estabelecer obrigações consideradas iníquas, abusivas, que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada, ou que sejam incompatíveis com a boa-fé ou a equidade.

 “Como o termo já diz, práticas como estas são abusivas e passíveis de punição. Orientamos aos consumidores que têm conhecimento de condutas desta natureza que denunciem ao Procon mais próximo ou ligue 151, para que sejam tomadas as medidas cabíveis”, ressalta o diretor do órgão estadual, Tiago Silva.

O objetivo da medida é informar e orientar os consumidores catarinenses. (Foto: Mauricio Vieira / Arquivo / Secom)

Últimas postagens

Brusque é derrotado pelo Santa Cruz

O Brusque FC perdeu para o Santa Cruz por 3 X 1 e ficou de fora da final do Campeonato Brasileiro da Série C....

Covid-19: Boletim deste domingo (17) confirma dois novos óbitos

Nas últimas 24 horas foram registrados 55 novos casos de Covid-19 e dois óbitos O novo boletim epidemiológico, divulgado neste domingo (17), aponta que Brusque...

Homem acusado como “tarado da Biz” é preso pela polícia no bairro Cedrinho

A Polícia Militar de Tijucas, juntamente com a Polícia Civil, cumpriu um mandado de prisão preventiva em Brusque, contra um homem de 27 anos,...

Anvisa aprova uso emergencial de vacinas contra covid

Por unanimidade, os cinco diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovaram o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford contra...

Estudantes fazem hoje primeira prova do Enem 2020

Milhões de estudantes de todo o país fazem hoje (17) a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Os portões serão...
Publicidade
WhatsApp chat