Presidente da Fesporte avalia que pandemia provoca momento decisivo para guinada de inovação

Outras notícias da semana

IBGE abre inscrições para 180 mil vagas de recenseador

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abre hoje (23) inscrições para 181.898 vagas para recenseador do Censo Demográfico 2021. Os empregos são...

Covid-19: Confira o boletim epidemiológico deste domingo (21)

O novo boletim epidemiológico, divulgado neste sábado (20), aponta que Brusque tem 16.948 casos confirmados da covid-19. Nas últimas 24 horas foram registrados 102...

Confira o boletim epidemiológico da dengue desta terça-feira (23)

Brusque segue com três casos positivos de dengue, todos autóctones, contraídos na própria cidade. Há um caso em investigação. Quanto ao número de focos,...

Prefeitura adota novas medidas de enfrentamento ao novo coronavírus

Em virtude do aumento de casos do novo comovírus e a preocupação com a ocupação de leitos hospitalares, o prefeito de Brusque, Ari Vequi,...

A pandemia provocou um impacto profundo na Fesporte. O lado ruim é a paralisação das competições, porém, a necessidade de replanejamento do calendário da entidade máxima do esporte catarinense pode servir como um “divisor de águas”.

O presidente da Fesporte, Ruy Godinho, falou ao Jornal da Diplomata na manhã desta sexta-feira, 24, sobre o quadro emergencial para “salvar o esporte catarinense” – como disse Godinho. São diferentes pontos decisões, além da causa maior que é a luta contra a Covid-19, devido ao decreto estadual que suspende competições esportivas até o final do mês de maio.

Em termos de recomeço, a Fesporte planeja sua retomada a partir de julho.

Ruy Godinho durante palestra de capacitação na Fesporte (Foto: Divulgação)
Ruy Godinho durante palestra de capacitação na Fesporte (Foto: Divulgação)

“A Fesporte não é mais apenas uma realizadora de eventos, mas uma fomentadora do esporte”, é uma das frases em que Ruy demonstra seu campo de visão para mudanças.

Enquanto isso, a paralisação causa um grave problema no esporte: a queda vertiginosa do suporte econômico que movimenta atletas, técnicos, profissionais de atividades físicas, projetos sociais, secretarias e fundações municipais, associações, centros de treinamentos e uma gama de atividades fins que subsidiam a ampla engrenagem, que traz impacto direto no tecido social do segmento e suas áreas correspondentes, desde o comércio de produtos até o treinamento diário dos atletas.

De acordo com Ruy, a Fesporte está sendo decisiva neste momento, em socorro ao esporte catarinense.

“Começou a movimentação de alguns municípios a não pagar programas Bolsa Atleta e Bolsa Técnico, já tem locais inadimplentes – sabemos da crise financeira pela baixa arrecadação”, explicou.

Competição de natação durante Jogos Escolares
Competição de natação durante Jogos Escolares (Foto: Antônio Prado/Fesporte)

“Era mais fácil para mim cancelar o calendário e fazer ano que vem, mas não esse pessoal ficaria sem receber, iriam abandonar o esporte e os nossos futuros atletas, chegando ao fim do esporte catarinense pois não teria todo o valor necessário; vamos fazer sim dentro das nossas possibilidades”, destacou Ruy.

A mudança para essa guinada é drástica e busca otimização de espaços e tempo. Diminuição no número de classificados, sistemas de mata-mata (encurtamento das fases) e não utilizar escolas como alojamentos. Conforme Ruy, o enxugamento do calendário virá com uma economia aos cofres do estado, em torno de 50% – diminuindo milhões investidos.

No ano passado, usamos 12 milhões de reais para realizar nossos eventos. Neste ano será abaixo de 6 milhões. Será uma redução de mais de 50%. E os municípios também poderão reduzir seus custos em torno de 30% a 50%”, analisou.

Para os municípios, o momento é também de inovações, avaliou Godinho.

Ruy Godinho durante apresentação de calendário no início de 2020
Ruy Godinho durante apresentação de calendário no início de 2020 (Foto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte)

“Penso que as fundações e secretarias tem que se reinventar em possibilidade, para atender esse novo cenário, a Fesporte é parceira, estamos trazendo algumas responsabilidades que são dos municípios, mas peço que analisem o próprio cenário para se tornarem mais eficientes com menos recursos – pensar fora da caixa”, comentou.

Para Rui Godinho, a pandemia provocará um novo conceito para o esporte, porém, muitos setores ainda se encontram em modelos antigos que agora passam a ficar “obsoletos” (referência usada por Ruy) frente às mudanças que estão por vir.

“É uma dificuldade muito grande pois se faz como há 60 anos é da mesma forma e quando falo em inovações há uma resistência sim; nós não vamos perder o que conquistamos e digo que estamos nos reinventando. Essa pandemia veio para mostrar essa virada, é difícil para algumas pessoas aceitarem, porém será necessário encarar uma nova forma de fazer esporte ”, frisou Ruy.

Atletas comemorando medalhas conquistadas nos Jogos Escolares.
Alunos-atletas comemorando medalhas conquistadas nos Jogos Escolares da Juventude (Foto: Heron Queiroz/Fesporte)

Entre as últimas decisões, a Fesporte não colocará as modalidades ingressantes nas respectivas competições: Jiu-Jitsu nos Joguinhos e o taekwondo e o badminton na OLESC.   A entrevista completa será destaque no Esporte Amador.

Últimas postagens

Matriz de Risco aponta todas as regiões em estado gravíssimo em SC

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste sábado, 27, os dados da Matriz de Risco Potencial em relação ao novo coronavírus. Pela nova...

Forças de segurança fiscalizam cumprimento de novo decreto do Governo do Estado

As forças de segurança de Santa Catarina trabalham de forma intensificada desde as 23h desta sexta-feira, 26, para garantir o cumprimento das novas medidas...

Covid-19: Boletim epidemiológico sábado (27-02)

O novo boletim epidemiológico, divulgado neste sábado (27), aponta que Brusque tem 17.370 casos confirmados da covid-19. Nas últimas 24 horas foram registrados 57...

Cartão Perdido

Foi perdido um cartão da Ailos (cor verde), da Viacred, no trajeto entre o Posto São Lucas até a rua da Marmoraria Erbs, em...

Documentos perdidos

Leda Maria Corrêa da Silva perdeu carteira contendo todos os seus documentos nas proximidades do Archer – loja 2, no bairro Águas Claras. Quem...
Publicidade
WhatsApp chat