“Paixão e Morte de Um Homem Livre” é adiado para 2022

Outras notícias da semana

Com foco no Volta Redonda, Brusque FC treina em dois turnos

Pensando no Volta Redonda, o Quadricolor realizou dois treinos nesta terça-feira (24). A primeira parte do treino foi realizada no período matutino, na academia,...

Operação ‘Bioma’ de combate ao tráfico de animais silvestres tem alvo investigado em Guabiruba

Na manhã desta segunda-feira, a Divisão de Investigação Criminal de Brusque - DIC, prestou apoio a "Operação Bioma" desencadeada pela Delegacia de Repressão a...

Aumento dos casos da Covid-19 foi tema principal da reunião da Câmara de Guabiruba

Na noite de terça-feira, 24, aconteceu mais uma sessão ordinária da Câmara Municipal de Guabiruba, sendo os trabalhos presididos pela vereadora Rosita Kohler (Progressistas). ...

Diretoria do Brusque concede coletiva para reafirmar ações e parcerias

Na tarde de quarta-feira, 26, Danilo Rezini, presidente do Brusque FC, concedeu entrevista coletiva para a imprensa regional para falar sobre o trabalho realizado,...

É uma tradição dos anos ímpares. Mas, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), a Associação Artística Cultural São Pedro (AACSP) decidiu adiar a 23ª edição do espetáculo “Paixão e Morte de Um Homem Livre” para a Páscoa de 2022. Até então, o projeto seguia em andamento e já tem seu roteiro escrito e aprovado, bem como a formação de todas as equipes de trabalho.

“O espetáculo seria apresentado em abril de 2021 mas, infelizmente, precisamos prorrogá-lo para 2022. Lamentamos por esta decisão, mas dentro da atual realidade, é algo que se faz necessário”, comenta o presidente da AACSP, Marcelo do Nascimento.

A última edição, apresentada nos dias 18 e 19 de abril de 2019, no pátio da igreja São Cristóvão, no bairro Aymoré, em Guabiruba, reuniu mais de nove mil pessoas. Logo em seguida foi feito um encontro de avaliação e, três meses depois, iniciaram os trabalhos, vislumbrando o espetáculo de 2021. Em setembro de 2019 foram montadas as equipes e iniciada a construção do novo roteiro.

“Cada edição apresenta uma narrativa diferente sobre a vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus. É assim que o espetáculo se renova e traz ao público surpresas, novos sentimentos e muita emoção. Podemos adiantar que o teatro, em 2022, será narrado por uma criança”, revela Marcelo.

Aprovado em dezembro do ano passado, o novo roteiro foi escrito em conjunto, pela atual diretora do projeto, Rejane Habitzreuter Schlindwein, com contribuição de profissionais da Fundação Cultural de Guabiruba e seminaristas do Convento Sagrado Coração de Jesus, em Brusque.

Isolamento social

Para dar sequência ao projeto, as próximas etapas dependeriam de trabalho e de ensaios em grupos, o que não é permitido pelas orientações de distanciamento social. Desta forma, a empresa Prisma Cultural, que presta serviços para a associação junto ao Ministério da Cultura, conseguiu a prorrogação do espetáculo para 2022.

“Fomos atendidos, até porque não há certeza se, na Páscoa do ano que vem, já poderíamos juntar quatro mil pessoas no mesmo lugar. Acreditamos que não haverá esta liberação antes de uma possível vacina. Por isso optamos em seguir com a prorrogação. Para quem vive o espetáculo é uma decisão dolorosa e triste”, enfatiza Marcelo.

O presidente da AACSP faz questão de agradecer o empenho de cada pessoa envolvida no projeto, das empresas patrocinadoras e da comunidade em geral, que a cada edição se faz presente para prestigiar a iniciativa. Da mesma forma, reforça que a decisão só foi tomada depois de uma avaliação minuciosa, que levou em consideração todos os prós e contras que envolviam a continuidade da apresentação no próximo ano.

“Tenham certeza de que, em 2022, o espetáculo será maravilhoso e feito com muito carinho, para nos fazer esquecer um pouco do que tem sido este ano e nos permitir sonhar sempre com dias melhores”, enfatiza.

Folclore

De acordo com o presidente da AACSP, havia grandes expectativas para este ano. O sentimento não era apenas compartilhado entre os membros da entidade, mas também pelas empresas do município e da região, mantenedoras da associação através de projetos de incentivo fiscal.

“Demos então andamento à confecção de novos trajes típicos para nossos dois grupos folclóricos: o alemão Alle Tanzen Zusammen (ATZ) e o italiano Tutti Buona Gente (TBG). Os trajes, com riqueza de detalhes da região de onde são oriundos, foram produzidos no Rio Grande do Sul e seriam utilizados no Festival de Danças Folclóricas, que ocorre junto à Festa da Integração, em Guabiruba”, conta Marcelo.

Mas, diante da pandemia, o evento foi cancelado. E as empresas, surpreendidas pela crise, não dispunham de recursos para colaborar com o projeto. Ao todo, os 60 trajes custaram R$ 130 mil.

“Temos o auxílio anual que recebemos da prefeitura, através da Fundação Cultural. Também já tivemos um percentual de captação através do projeto aprovado na Lei Rounaet. Ainda assim, nos resta uma dívida de quase R$ 50 mil e seguimos em captação. Empresas de lucro real podem contribuir com o projeto através do repasse de até 4% de seu imposto devido”, pontua Marcelo.

Mais informações através do email: marcelonascimento010@uol.com.br.

Últimas postagens

COVID-19: Boletim epidemiológico de 28 de novembro

Brusque registrou nas últimas 24 horas 173 novos casos de Covid-19. Agora, a cidade conta com 8.865 pessoas que já contraíram a doença. Deste...

Brusque é goleado em casa pela Série C do Brasileiro

O Brusque FC foi massacrado pelo Volta Redondo em pleno estádio Augusto Bauer, na tarde deste sábado, 28, em jogo valido pela penúltima rodada...

Recadastramento de aposentados está suspenso até o fim do ano

 A exigência da prova de vida anual de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está suspensa até o fim do...

Homem fica ferido após tombamento de caminhão no bairro Limeira

Por volta das 19h30 de sábado, 27, o serviço de segurança da cidade atendeu um tombamento de caminhão na Rua José Walendowski, bairro Limeira....

Obituário de sábado 28 de novembro

Funerária Guabiruba Faleceu às 15h40 de sexta-feira, 27, Maria Marlene Mosimann, 59 anos, que morava na Rua Antônio Carminati, São Pedro. Corpo velado na capela...
Publicidade
WhatsApp chat