Jantar marca fundação do Instituto Conservador de Brusque

Outras notícias da semana

Na última sexta-feira, 5, um jantar solene marcou a fundação do Instituto Conservador de Brusque. De acordo com a Carta de Princípios da entidade, o ICB “defende e promove os preceitos e ideais do conservadorismo brasileiro, atinente ao princípio básico de que o poder popular emana das tradições, valores e escolhas oriundas da comunidade, da localidade, da municipalidade”, diz o texto.

Deputada estadual Ana Campagnolo (PSL) presente no jantar do Instituto Conservador de Brusque (Foto/Divulgação)

A deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL), que auxiliou na iniciativa do grupo responsável pela formação do instituto, esteve presente no evento.

O Instituto Conservador tem Rafael Silva como primeiro presidente indicado.

Em entrevista ao Jornal da Diplomata, Rafael destacou que a entidade busca criar a representatividade do movimento conservador.

Rafael Silva, presidente do Instituto Conservador de Brusque (Foto: Divulgação)

“Os conservadores são 70% da população de Brusque e uma entidade que representasse esse povo se fazia necessária há muito tempo”, disse.

A proposta do ICB é realizar palestras e fóruns. O primeiro evento está marcado para o dia 8 de março, que terá a presença de Eduardo Bolsonaro, um dos filhos do presidente Jair Messias Bolsonaro, além de outras autoridades.

No jantar solene que serviu de marco inicial do instituto, muitas personalidades ligadas ao setor político.

Jantar do Instituto Conservador de Brusque (Foto: Divulgação)

Rafael defende que o instituto não é de cunho político, embora possa reunir membros da Direita.

“É um instituto de pessoas comuns e que estão bem representadas em Brusque. Não é um instituto não é político, nossa ideia não é trabalhar na política”, frisou.

Entrevista com Rafael Silva

Acompanhe a carta de princípios.

  1. A Verdade, a Justiça, a Lei Natural e a liberdade responsável, na luta contra toda e
    qualquer ideologia;
  2. Os direitos humanos, reconhecidos como direitos fundamentais e universais originados
    da lei natural presente no coração do homem, que servem de base e fundamento para
    outros direitos, e são cognoscíveis por meio da razão natural;
  3. A rejeição ao socialismo e o comunismo, em todas as suas vertentes, bem como a toda
    e qualquer ideologia que atente contra a vida, contra a dignidade humana, a ordem
    natural e as liberdades fundamentais;
  4. O respeito a Deus e à liberdade de expressão religiosa, inclusive no espaço público;
  5. A proteção da vida e da dignidade humanas em todas as suas etapas desde a
    concepção;
  6. A restauração e preservação da memória, identidade e culturas brasileiras, catarinenses
    e brusquenses;
  7. A família como núcleo natural e fundamental da sociedade;
  8. A subsidiariedade como princípio político fundamental;
  9. A limitação do poder do estado e a sua compreensão como ferramenta institucional
    subordinada à comunidade política;
  10. A cidadania ativa (meio de desenvolvimento do bom cidadão), a amizade política
    (medida de boa governança), e a paz pública (primeiro fundamento do bem comum) –
    como elementos intrínsecos de uma sociedade virtuosa, que deve almejar, dentre outros
    objetivos, a redução da discriminação social e o aumento do respeito à fé no espaço
    público;
  11. A importância da defesa do território nacional, de seus habitantes e seus bens;
  12. A compreensão da legítima defesa à própria vida e a dos seus, bem como de sua
    propriedade e de sua liberdade, como direito fundamental de todos os brasileiros, cujas
    negativas são violações dos direitos naturais da pessoa;
  13. A livre iniciativa e o pleno exercício da atividade econômica no mercado;
  14. A propriedade privada como um valor fundamental e um direito inalienável.
    Valores
    1º Pró-Vida e Pró-Família
    2º Patriotismo e a promoção da Comunidade Brasileira, Catarinense e Brusquense
    3º Defesa da liberdade de credo
    4º Defesa da propriedade privada e promoção da liberdade econômica
    5º A Auto-Defesa como dever do cidadão e o legitimo direito de livre acesso a armas de
    fogo.
    6º Princípio da Subsidiariedade e a valorização dos deveres cívicos
    7º Democracia e Cidadania: igualdade e liberdade políticas
    8º Integração ambiental
    9º Reconhecimento de comunidades e associações para a participação política
    10º Formação de paradigmas de excelência

Últimas postagens

Publicidade
WhatsApp chat