Justiça determina devolução de casarão à Massa Falida da Fábrica Renaux

Publicidade
Utilidade pública

A juíza da Vara Comercial da Comarca de Brusque, Clarice Ana Lanzarini, determinou em decisão divulgada ontem, 22, que a antiga residência do Cônsul Carlos Renaux seja devolvida à Massa Falida da Fábrica Renaux.

Em razão de informações de que o imóvel se encontrava em estado de abandono, necessitando de manutenção urgente, a Massa Falida requereu a posse do bem, a fim de que pudesse preservar seu patrimônio. O casarão fica no alto de uma colina, na Primeiro de Maio, em frente à fábrica Renaux. Foi construído em 1932 e durante anos serviu de moradia para o Cônsul.

A bisneta do Cônsul, Maria Luiza viveu no imóvel que lhe foi emprestado, e por acreditar ser dona do mesmo havia ingressado com ação de usucapião. Após o seu falecimento, o filho, Vitor Renaux Hering, prosseguiu com a ação judicial.

Na decisão, a juíza ainda determina que o imóvel seja desocupado em até 15 dias, sob pena de desocupação forçada e aplicação de multa diária.

Propriedade da Massa Falida

Em dezembro de 2020, a juíza Clarice Ana Lanzarini, decidiu que o casarão centenário faz parte da massa falida da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux, reconhecendo como improcedente a ação de usucapião movida pela bisneta do Cônsul, Maria Luiza Renaux.

Com o retorno do imóvel para a Massa Falida, a propriedade  poderá ser vendida e os recursos usados para pagar eventuais dívidas de fornecedores e colaboradores.

O casarão fica no alto de uma colina, na Primeiro de Maio (Foto: Divulgação)
Publicidade
Últimas notícias

OSB Brusque vence Prêmio de Boas Práticas em Gestão Pública de Santa Catarina

O Programa de Colaboração e Monitoramento de Contratos e Licitações do Observatório Social de Brusque (OSB Brusque) foi o...
Publicidade
WhatsApp chat