Paratletas que participaram da Fenajitsu realizam limpeza da Praça Sesquicentenário, como ato de agradecimento ao evento e a Brusque

O ato que contou também com o empresário organizador da Fenajitsu foi para reafirmar que o esporte é pautado pela ética e moral e que um ato negativo isolado não pode manchar a modalidade e seus praticantes.

Publicidade
Utilidade pública

No final da manhã e início da tarde desta segunda-feira, 7, membros das equipes que participaram da competição de Jiu-Jitsu Paradesportivo, evento que aconteceu paralelamente a etapa do AJP Tour, South América Continental (Brusque) na Fenajitsu, em grande estrutura montada na Feira da Moda – FIP, realizaram um ato de cidadania e gratidão pela acolhida e oportunidade de participarem de um evento de nível mundial.

Paratletas, membros da Federação Brasileira de Jiu-Jitsu Paradesportivo e familiares dos competidores, realizaram um ato simbólico e prático, recolhendo o lixo jogado na Praça Sesquicentenário, em frente à Praça das Bandeiras, em Brusque.

A ação foi para provar que um ato isolado, como o registrado no final de semana, momento que um dos atletas foi flagrado pichando os pilares de uma ponte localizada na Avenida Beira-Rio, não pode denegrir todos os atletas, organização do evento e o esporte que prega disciplina, respeito e espírito de irmandade.

Na praça, hoje pela manhã, estavam participando desse ato cerca de 30 paratletas, dirigentes e o empresário Newton Patrício Crespi “Cisso”, organizador da Fenajitsu, praticante e incentivador do esporte, em uma demonstração de união e força.

Cisso falou que o grande evento que recebeu atletas de renome internacional, também oportunizou as lutas do parajiu-jitsu, sendo que o que foi visto no domingo pela manhã foi um exemplo de vida e superação.

A esquerda Elcirley Luz Silva e o empresário Cisso Crespi na praça após a limpeza da mesma pelos paratletas. (Imagem: Diplomata FM).

O empresário apresentou sua contrariedade com a repercussão por parte de um jornal de circulação diário da cidade, que pegou, segundo ele, um ato isolado de vandalismo de um paratleta e colocou tudo na “conta” do evento e do esporte.

“Generalizaram como todos fossem vândalos, por se tratar de um esporte de contato. Quem esteve no evento, pode perceber o que separava os lutadores das equipes que acompanhavam das arquibancadas, não eram alambrados, cercas ou portões, eram vasos de flores”.

“Nosso esporte é pautado pela ética e moral”, completou Cisso.

Ao lado na Praça Sesquicentenário, de Alcirlei Luz Silva, Presidente das Federações Brasileira e Internacional de Jiu-Jitsu Paradesportivo, o empresário parabenizou os paratletas pela “bonita ação” de limpeza do local público, antes de voltarem para suas cidades.

Alcirlei inclusive agradeceu a oportunidade de participar de um evento dessa grandeza e o carinho que todos foram recebidos. Ele, inclusive, descreveu que aqui em Brusque os paratletas viveram momentos de emoção e pela primeira vez no Brasil eles também receberam prêmios em dinheiro, numa demonstração de igualdade.

Sobre o paratleta que cometeu o ato isolado de vandalismo a federação já divulgou nota, informando do banimento dele do esporte.

Novos eventos

Após a realização e sucesso da Fenajitsu, Brusque passa a ser a capital brasileira do esporte. E novidades com novos eventos serão anunciadas brevemente. Fiquem ligados!

O Parajiu-Jitsu é o paradesporto do Jiu-Jitsu, e é praticado por paratletas com variadas mobilidades, ao total são 20 classificações funcionais no Parajiu-jitsu, tanta para mobilidade física e cognitiva.

Publicidade
Últimas notícias

Covid-19: Confira o boletim epidemiológico deste domingo (26)

Nas últimas horas 10 novos casos da doença foram confirmados O boletim epidemiológico divulgado pela Diretoria de Vigilância em Saúde...
Publicidade
WhatsApp chat