Homem preso pela Polícia Civil de Brusque, procurado pela Interpol, recebe condenação por crimes estelionatos; golpe do aplicativo

Publicidade
Utilidade pública

Nesta terça-feira, 22, a Vara Criminal de Brusque condenou a 10 anos e 1 mês de prisão, em regime inicial fechado, o homem que era procurado pela INTERPOL e que foi preso em Brusque pela Divisão de Furtos e Roubos de Brusque, na data de 29 de outubro de 2020.

A condenação é em decorrência de investigação realizada pela Divisão de Furtos e Roubos que apurou que no período de janeiro a outubro de 2020, o investigado de 49 anos praticou 8 furtos mediante fraudes na cidade de Brusque e ficou conhecido como o “golpe do aplicativo”.

Golpe do Aplicativo

O investigado procurava vítimas pelas redes sociais e marcava encontro para, supostamente, tratar de vagas de trabalho. Durante a “entrevista”, dizia que precisava instalar um aplicativo no aparelho celular. A vítima entregava o aparelho e, quando se distraia, o investigado deixava o local com o aparelho.

Os encontros eram sempre realizados em locais públicos e de grande circulação de pessoas, o que facilitava a fuga do local.

Durante as investigações, foi apurado que a companheira do preso fazia anúncios dos aparelhos em sites de compras da região e, posteriormente, entregava os aparelhos. Ainda no decorrer das investigações 5 dos 8 aparelhos subtraídos pelo condenado foram recuperados e restituídos às vítimas.

O condenado permanece preso desde sua captura ocorrida no mês de outubro de 2020 pela Divisão de Furtos e Roubos e não obteve o direito de recorrer em liberdade.

Publicidade
Últimas notícias

Mais de 40 cobertores são doados pela UNIFEBE para a Rede Laço de Voluntariado

A solidariedade inspirou acadêmicos, professores e colaboradores do Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE) em mais uma edição da campanha...
Publicidade
WhatsApp chat