Coordenador de Fisioterapia do Hospital Azambuja fala sobre a importância do trabalho de recuperação de pacientes pós-Covid

Acompanhamento dos profissionais é realizado 24 horas junto aos pacientes que precisam de tratamento intensivo. Hospital planeja implantação de Ambulatório Pós-Covid

Publicidade
Utilidade pública

Há pouco mais de um ano, o Brasil e o mundo vivem cercados pelos casos de Covid-19, que tem levado muitas vidas e provocado estudos nas comunidades científicas e médicas por todo o planeta. Em Brusque, o Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux – Hospital Azambuja recebe diariamente novos pacientes, acometidos pela doença, que são internados nos leitos de clínica médica, e os casos mais graves, encaminhados às Unidades de Terapia Intensiva para Covid.

Foram instalados 29 leitos novos de UTIs no hospital desde o mês de julho de 2020, que receberam diversos pacientes com Covid. Em muitos casos, as equipes de médicos, enfermeiros e técnicos, nutricionistas e fisioterapeutas, comemoraram o restabelecimento dos pacientes, já outros, infelizmente acabaram não vencendo a luta contra a doença.

Na manhã desta segunda-feira, 28, o Jornal da Diplomata recebeu Marcelo Rocha da Silva, coordenador geral da Fisioterapia e coordenador do Setor de Ventilação Mecânica do Hospital Azambuja, que falou sobre a rotina da casa hospitalar nesse período de pandemia.

Ouça entrevista concedida a Sérgio Ferreira!

Áudio entrevista Marcelo Rocha da Silva.

Publicidade
Últimas notícias

ACIBR e poder público avançam na discussão para novo acesso entre Brusque-Guabiruba

O Núcleo de Empresários de Guabiruba, vinculado à Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), realizou na tarde de ontem, 21...
Publicidade
WhatsApp chat