Curso profissionalizante de costura garante novo futuro a 65 mulheres

Publicidade
Utilidade pública

Uma corrida de Uber garantiu à motorista do aplicativo, Vanderlea Mendes da Silva, de 44 anos, uma nova profissão: a de costureira. Natural do Rio de Janeiro, ela conta que desde que passou a morar em Brusque, há cinco anos, percebeu o quão forte é o setor de confecção e começou a nutrir a vontade de atuar na área. Há alguns meses ficou sabendo do curso profissionalizante ‘Amor pela Costura’, realizado pela Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região (AmpeBr), quando fez uma corrida para uma passageira até a entidade. Vanderlea não perdeu tempo, no mesmo dia fez sua inscrição e pouco tempo depois iniciou as aulas. Na noite de terça-feira, 31 de agosto, ela estava entre as 65 mulheres que se formaram no curso, em solenidade realizada no auditório do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Brusque (Sintrafite). “Fiz o curso, gostei muito e pretendo agora adquirir mais experiência para empreender nessa área”, revela. A veia empreendedora é incentivada pelo marido, Rafael Viviani, que tem familiares que já empreenderam no setor, no interior do Rio de Janeiro e acompanhou com orgulho a formatura da esposa. Agora, Vanderlea segue com o foco de aprender ainda mais.

Projeto da AmpeBr forma novas costureiras para atuar no mercado de trabalho e também empreender. (Foto: Assessoria de Imprensa AMPEBr/Divulgação)

O sonho da motorista de Uber é semelhante ao de Rute Rodrigues Barbosa Correa, de 44 anos, que há 13 mora em Brusque. Ela trabalhava no ramo da limpeza e um dia, ficou atenta ao que a rádio anunciava: era o curso da AmpeBr. “Eu sempre quis aprender a costurar, mas como geralmente eram cursos pagos, não conseguia fazer. Quando soube deste curso, consegui me inscrever. Comprei uma máquina e já estou trabalhando na área. Para mim hoje é um dia feliz e só tenho a agradecer à AmpeBr por dar essa oportunidade a todas nós”, conta ela, que foi à formatura acompanhada do marido Valdecir.

A formatura reuniu 40 das 65 novas costureiras, já que muitas não puderam comparecer ao evento, por conta de seus horários de trabalho. Familiares e amigos prestigiaram a formatura, bem como o vice-prefeito de Brusque, Pastor Gilmar Doerner, diretores da AmpeBr e representantes de empresas parceiras do projeto.

O ‘Amor pela Costura’ tem como principal objetivo qualificar mulheres e homens na importante e necessária mão de obra da costura, constantemente procurada pelas empresas de confecção da cidade e da região. “É um projeto que tenho muito orgulho de fazer parte e ver de perto a força de vontade que essas alunas têm de mudar a vida. Elas poderiam estar na frente de uma televisão, poderiam estar em casa reclamando, mas aproveitaram a oportunidade, vieram se profissionalizar e podem agora escrever a própria história com uma profissão. Temos alunas que chegam aqui já com a intenção de abrir seu próprio negócio, sua facção, a fim de prestar serviços para as confecções. Outras, têm o intuito de realmente trabalhar nas empresas. E para nós é uma alegria saber que hoje, terminado o curso, já estamos com 70% das alunas colocadas no mercado de trabalho”, revela a presidente da AmpeBr, Sandra Neli Werner.

Exemplo para o país

O educador social Luiz Roberto Maffezzolli, que atua no Centro de Referência de Assistência Social Azambuja (CRAS), comenta que o curso promovido pela AmpeBr é uma oportunidade importante para diversas pessoas, que precisam de qualificação profissional. Atualmente o CRAS mantém uma parceria com a entidade, inscrevendo participantes no curso. “Quando soubemos do projeto, fizemos esta parceria a fim de oportunizar esta qualificação a algumas pessoas que nos procuram. Sempre atendemos a todos, fazendo inclusive currículos e encaminhando ao mercado de trabalho. Porém, há pessoas que não possuem nenhum registro em sua Carteira Profissional, o que dificulta a contratação por parte das empresas. O curso é uma grande oportunidade de qualificação e uma iniciativa que deveria se espalhar pelo Brasil inteiro. Muitas dessas pessoas voltam ao CRAS quando terminam o curso, para agradecer e vemos que o retorno delas, é sempre muito positivo”, complementa.

Iniciado no ano de 2019, o curso tem como professoras as profissionais Maria Isabel Daroceski e Marlei Salete Machado. Durante a formatura, a presidente Sandra apresentou o novo nome do projeto, que passa a se chamar agora ‘Escola de Costura – Curso Profissionalizante de Costureira’. “O projeto continua, nos mesmos moldes. São módulos de três em três meses onde elas aprendem uma costura básica e com isso já podem se inserir no mercado de trabalho. As próximas turmas inclusive já estão começando neste mês de setembro”, explica.

O vice-prefeito de Brusque, pastor Gilmar, se disse honrado em participar da formatura, pois percebeu nos olhos de cada formanda, a vontade de trabalhar, de fazer a diferença. “Fico muito feliz e parabenizo a AmpeBr, toda diretoria, as professoras, que idealizaram e fizeram acontecer este projeto tão lindo. Vemos aqui pessoas que agora têm uma qualificação e podem ajudar a preencher as vagas existentes nas empresas, como também empreender. Neste momento está se dando dignidade a essas pessoas, para que possam buscar seu meio de vida, não só isso, pois o que vejo aqui é o começo da realização de um sonho, um sonho da sua casa própria, um sonho de ver seus filhos estudando, se formando. São pessoas como essas que formam uma cidade forte”, ressalta.

Ao receberem seus certificados, as formandas ‘desfilaram’ looks produzidos por elas mesmas, colocando em prática o aprendizado que tiveram. 

Publicidade
Últimas notícias

Polícia Civil apura denúncias e prende em flagrante casal que aplica golpes do cartão

Um casal foi preso pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 15, por crime de estelionato. A investigação apurou denúncia de...
Publicidade
WhatsApp chat