Polícia Civil conclui inquérito da 2ª fase da operação Fio Solto e identifica todos os envolvidos no crime

Em Guabiruba, a carga foi repassada para o grupo responsável pela produção, composto pelo distribuidor e mais quatro empresários do ramo de tecelagem, os quais transformariam a carga de fios em tecidos

Publicidade
Utilidade pública

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Furtos e Roubos de Brusque, concluiu inquérito policial na segunda fase da “Operação Fio Solto” e indiciou seis pessoas por associação criminosa, furto e receptação qualificada.

Durante a investigação, a polícia descobriu que a associação criminosa era dividida em três grupos: responsáveis pelo furto da carga e retardo da comunicação às autoridades; responsáveis pelo transporte e logística e responsáveis pela produção de malhas.

Em relação ao grupo responsável pelo furto e retardo da comunicação foi identificada a participação de três pessoas, dentre elas o próprio motorista do caminhão que transportava a carga, o qual facilitou a subtração e deixou de comunicar o furto às autoridades, retardando a ação policial e garantindo o transporte seguro das mercadorias até Guabiruba.  

O furto aconteceu no dia 25/09/2021, na cidade de São José dos Pinhais-PR, e somente foi noticiado às autoridades policiais na data de 28/09/2021, pelo motorista do caminhão.

O investigado responsável pelo furto transportou os fios até a cidade de Santa Cecilia-SC, onde teria repassado a carga para dois outros caminhões, entrando em cena o grupo responsável pelo transporte e logística.

Em relação a esse grupo, foram identificadas três pessoas, sendo dois motoristas de caminhões e um motorista de um veículo menor usado como “batedor” da carga, os quais conduziram as mercadorias de Santa Cecilia-SC até Guabiruba-SC.

Em Guabiruba, a carga foi repassada para o grupo responsável pela produção, composto pelo distribuidor e mais quatro empresários do ramo de tecelagem, os quais transformariam a carga de fios em tecidos.

APREENSÃO NA SEGUNDA FASE DA OPERAÇÃO

Nesta segunda fase da operação foram apreendidos 1.752 quilos de tecidos produzidos a partir dos fios furtados, avaliados em aproximadamente R$ 50.000,00, sendo restituídos à empresa vítima do furto.

Esses tecidos estavam sendo ocultados em uma empresa de tecelagem de Guabiruba, aguardando instruções por parte da associação criminosa para ser destinada e foram apreendidas pela Divisão de Furtos e Roubos na data de 01/12/2021.

Os seis investigados desta segunda fase da operação fio solto foram indiciados por furto, associação criminosa e receptação qualificada. No total, dez pessoas participaram de forma direta na prática dos crimes, sendo que quatro já haviam sido indiciadas na primeira fase.

A soma dos bens apreendidos na primeira e segunda fase da operação ultrapassa os R$ 470.000,00.

Publicidade
Últimas notícias

Hospital Azambuja alerta nova modalidade de golpe em nome da instituição

O Hospital Azambuja alerta a população de Brusque e região para novas tentativas de golpes, utilizando o nome da...
Publicidade
WhatsApp chat