Núcleo de Jovens Empreendedores realiza palestra sobre crimes digitais

Núcleo de Jovens Empreendedores realiza palestra sobre crimes digitais Segundo o delegado, Vitor Gustavo Alves Machado, a conscientização ainda é a melhor arma no combate a crimes cibernéticos

Publicidade
Utilidade pública

O Núcleo de Jovens Empreendedores, da Associação Empresarial de Brusque, Guabiruba e Botuverá (ACIBr), realizou, na noite de terça-feira, dia 22 de março, a palestra intitulada “Crimes Digitais”, ministrada pelo Delegado Regional da Comarca de Brusque, Vitor Gustavo Alves Machado. O evento aconteceu na própria sede da Associação.
Com o avanço dos crimes cometidos através da internet, o Núcleo resolveu intervir e alertar os empresários e toda a comunidade brusquense sobre os cuidados que devem ser tomados na hora de navegar e disponibilizar dados pessoais na rede.
“Por estarmos muito dependentes da tecnologia, infelizmente nos tornamos alvos fáceis. Estamos suscetíveis e vulneráveis. A palestra vem com o intuito de prevenir a população e apresentar formas de se proteger contra esses crimes, que estão crescendo todos os dias”, comentou o coordenador do Núcleo de Jovens Empreendedores, Jackson Mensor.

Crimes digitais
O objetivo desse encontro, segundo o delegado Machado, foi conscientizar as pessoas para que tenham conhecimento dos principais crimes cibernéticos ou crimes digitais, que têm ocorrido em Brusque, e como proceder em caso de sofrer um golpe. “Essa revolução tecnológica que está acontecendo, dia após dia, faz com que esses crimes tendam a aumentar, de forma absurda, cada vez mais. Com o advento da pandemia, houve um isolamento e as pessoas ficaram ainda mais conectadas, o que aumentou, significativamente, o avanço desses casos”, disse.
O palestrante comentou, também, sobre como esses crimes estão sempre se renovando. “Há um ciclo de novos crimes. Um determinado tipo de golpe é deixado de lado e acaba surgindo outro e mais outro e assim por diante, voltando a se proliferar. Atualmente, o que mais está acontecendo é a clonagem de Whatsapp e de redes sociais. Em relação ao Whatsapp, o estelionatário consegue os contatos da vítima e começa a pedir dinheiro emprestado; em relação as redes sociais, ele divulga e tenta vender produtos que não existem”, explicou.
A surpresa maior foi quando o delegado e palestrante comentou que a cidade de Brusque tem, em média, 20 boletins de ocorrência por dia, somente por estelionato. A maioria dos crimes são digitais.

Convite
Para quem tem interesse em conhecer um pouco mais sobre o Núcleo de Jovens Empreendedores, da ACIBr, as reuniões são quinzenais e realizadas nas terças-feiras, às 18h, na sede da entidade, localizada à Rua Pedro Werner, 180, 3º andar, Edifício CESCB, centro 1, (47) 3351-1588.

Informações e fotos: Assessoria de Imprensa | ACIBr

Publicidade
Últimas notícias

Taça FCB inicia nesta quinta-feira (26) em Brusque

Quatro equipes catarinenses iniciam nesta quinta-feira (26) a disputa da Taça FCB. A chave B, disputada em Brusque, conta...
Publicidade
WhatsApp chat