Estudantes da Escola S de Brusque garantem vaga para etapa nacional do Torneio SESI de Robótica FLL

Equipe ficou na segunda colocação na fase regional realizada em Criciúma. O time de Blumenau foi o grande vencedor. Também estarão na fase nacional os estudantes de  Criciúma, Concórdia, Lages e Rio do Sul

Publicidade
Utilidade pública

Seis equipes vão à etapa nacional do torneio que ocorre de 27 a 29 de maio em São Paulo. Além da grande campeã da etapa regional, que foi a equipe Techmaker, da Escola S de Blumenau, seguem para o Festival SESI de Robótica estudantes de Criciúma, Concórdia, Lages, Rio do Sul e Brusque, que ficou com a segunda colocação. 

Para Henrique Dorow, estudante do nono ano e competidor da equipe Tecnorob Evolution, o prêmio reconhece meses de dedicação dele e dos colegas. “Toda dedicação e trabalho de oito meses e, como equipe, todo e esforço e comprometimento que tivemos com a FLL foram premiados hoje. Continuaremos nos preparando e fazendo o que podemos para alcançar algo ainda melhor no nacional”, comenta.

A supervisora da equipe Tecnorob, professora Rosani Marcarini, lembrou que foram 37 equipes competindo e que, portanto, a vitória da equipe foi muito significativa. Segundo ela, agora começa a preparação para a fase nacional. “Sempre que retornamos de um campeonato, pensamos em tudo que podemos fazer para melhorar. Assim que chegarem as rubricas, vamos saber o que fazer e rever a nossa pesquisa, o nosso robô e fazer todo um estudo para chegar lá muito mais fortes. E, claro, buscar a nossa vaga para o torneio internacional”, destacou a supervisora, agradecendo ainda, a torcida de todos.

Todas as temporadas, a competição tem um tema e essa foi batizada de Cargo Connect, que desafia os jovens a repensar e inventar o futuro do transporte; para isso, eles criam projetos de inovação, além de construir e programar robôs para completar missões. A Tecnorob Evolution pesquisou e encontrou alguns problemas em relação ao delivery de alimentos. Desta maneira, os estudantes desenvolveram uma solução para, por exemplo, não haver derramamento de líquidos durante as entregas.

Equipe Blumenau

“É uma experiência totalmente nova, a gente não espera. O importante é a experiência e como podemos ser recompensados. O amor que sinto e a família que construí, que é a equipe, me motiva a lutar e treinar todos os dias para ganhar o primeiro lugar. Isso encanta, motiva e anima. Chegamos até aqui sendo uma família e continuaremos sendo no nacional”, afirma Rebeca Tavares Silva, estudante do segundo ano do ensino médio e integrante da equipe campeã.

Sofia Ferreira Scarsi, estudante do nono ano e integrante da equipe Carvoeiros Robots, terceiro lugar na competição e anfitriã do evento, frisa que o torneio é emocionante. “O fato de o evento estar acontecendo aqui, em Criciúma, na nossa casa, é ainda mais emocionante. Foram dias de muito trabalho, com foco em produzir, construir nosso projeto e trabalhar os valores da equipe”, destaca.

São suplentes das equipes classificadas: XT100 Fast (Jaraguá do Sul), AnonymousRob (Tubarão), Data Bot e Los Titãs (Rio do Sul).

 
Confira soluções propostas nesta temporada

Entre os projetos criados pelos estudantes que participaram do torneio está o sistema de identificação de buracos que visa minimizar o atraso de entregas proposto pela equipe de Criciúma. A pesquisa destaca um levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT) que aponta que mais de 78% das estradas no país não são pavimentadas. Dos quase 57 mil quilômetros pesquisados, 54% apresentaram algum tipo de problema no pavimento. Um sistema semelhante já existe em alguns modelos de veículos e a ideia dos estudantes é democratizar o acesso a essa solução.

De Concórdia, vem uma proposta para melhorar as condições de higiene para os caminhoneiros que, por vezes, passam dias viajando. O número de profissionais que atuam nas estradas é superior a 2,8 milhões, de acordo com o IBGE. Os jovens estudaram a instalação de chuveiros na própria cabine do caminhão. Com este projeto, inclusive, a equipe se tornou uma das finalistas do Global Innovation Awards (GIA), programa da FLL que destaca, todos os anos, as melhores soluções para problemas do mundo real e que trazem impactos positivos para a sociedade. 


Pequenos, porém muito velozes

Outra equipe catarinense de destaque é de Criciúma e participa do programa F1 in Schools. Eles se juntaram a uma equipe da Irlanda para formar uma escuderia colaborativa e participarão das disputas que ocorrem na Inglaterra.


Confira o resultado geral:
Torneio de Robótica Challenge SESI SENAI:
Champion’s Awards (classificadas para o Festival SESI de Robótica FLL)

1º Techmaker, da Escola S, Blumenau
2º Tecnorob Evolution, da Escola S, Brusque
3º Carvoeiros Robots, da Escola S, Criciúma
4º Agrorobots, da Escola S, Concórdia 
5º Robobaio, da Escola S, Lages 
6º Riobots, do Centro Educacional Pref. Luiz Adelar Soldatelli, Rio do Sul

Suplentes
XT100Fast, da Escola S, Jaraguá do Sul
AnonymousRob, do Colégio Coração Feliz, Tubarão
Databot, do COC, Rio do Sul
Los Titãs, do Centro Educacional Pref. Luiz Adelar Soldatelli, Rio do Sul

Desempenho do robô: 
1º Techmaker, de Blumenau
2º Riobots, do Centro Educacional Pref. Luiz Adelar Soldatelli, Rio do Sul

Design do Robô:
1º XT100Fast, da Escola S, Jaraguá do Sul
2º AnonymousRob, do Colégio Coração Feliz, Tubarão

Projeto de inovação: 
1º Robo Baio, da Escola S, Lages
2º Robot Makers, da Escola Municipal Padre Valente Simioni, Joinville

Prêmio Core Values:
1º Agrorobots, da Escola S, Concórdia
2º Databot, do COC, Rio do Sul

Publicidade
Últimas notícias

Grupo de Feirino do Bandeirante promove confraternização com ex-jogadores profissionais

O grupo de feirino Clube 25, da Sociedade Esportiva Bandeira, promoveu um momento de confraternização na noite desta última...
Publicidade
WhatsApp chat