Fenajeep 2022 – “São Pedro é jipeiro”: Pilotos destemidos encaram o Passeio Radical

Alberto de Souza, 55, e seu filho, Alberto de Souza Junior, 26, foram um dos primeiros participantes a chegarem no local de largada.

Publicidade
Utilidade pública

A chuva que caiu na tarde de sexta-feira trouxe alegria para os 60 pilotos que participam do Passeio Radical, cuja largada ocorreu na manhã de hoje, 18 de junho, às 8h, ao lado da pista da 28ª Festa Nacional do Jeep (Fenajeep). Devido à condição climática, a expectativa é que os participantes encontrem, ao longo dos 55 quilômetros de percurso, exatamente o que procuram: muito buraco e atoleiro.

“São Pedro é jipeiro. Batizou a trilha para a gente com a chuva de ontem! Agora, a dificuldade estabelecida está acima do moderado e chegamos cedo para organizar os pelotões por uma escala de pneus. Quanto mais fundo o pneu for, mais fundo ficam os buracos. Por isso, estamos alinhando os jipes com pneus maiores para trás”, explica Cristian Noldin, integrante da Comissão Organizadora da 28ª Fenajeep e um dos responsáveis pelo Passeio Radical.

Ele fala sobre a alegria diante da adesão expressiva dos pilotos que, em poucos dias, esgotaram as vagas disponíveis. “Tem gente de Minas Gerais, do Macapá e de São Paulo. O oeste catarinense está nos prestigiando em peso, além dos jipeiros que moram mais próximos, na nossa região”, comenta.

Adrenalina

Cristian recebeu o desafio de traçar o percurso do Passeio Radical em 2019. Mas, por conta da pandemia, só neste sábado o destino finalmente estreou na Fenajeep. A primeira etapa passa por um terreno de mata fechada, próximo do Cemitério Parque da Saúde. De lá, os pilotos seguem para Tomaz Coelho e encerram a aventura na cidade de Nova Trento.

“No Passeio Radical não há cronometragem e a proposta é que, a cada edição da Fenajeep, o trajeto seja diferente. Para participar o carro precisa ter pneu recapado e guincho. Buracos e atoleiros nós garantimos aos participantes”, brinca o organizador.

Uma equipe de apoio, formada por 14 pessoas, acompanha toda a prova e permanece à disposição para orientar e auxiliar quem precisa de uma ajudinha para ultrapassar as barreiras pelo caminho.

Primeiros a chegar

Alberto de Souza, 55, e seu filho, Alberto de Souza Junior, 26, foram um dos primeiros participantes a chegarem no local de largada. Moradores de Gaspar, às 5h30 deste sábado eles já estavam em Brusque, mesmo sabendo que o horário da concentração era às 8h. “Queríamos garantir um dos primeiros lugares no passeio. Quanto mais jipes passam, mais fundo vão ficando os buracos e mais violento se torna o percurso”, contam os dois, com a experiência de quem já fez quatro Passeios Radicais, em edições anteriores.

José Pacla, de Imbituva (PR), também é veterano no Passeio Radical, sempre na companhia do filho, Felipe, 16. “Para encarar esse desafio é necessário um bom equipamento, tempo disponível e muita coragem”, ensina o piloto, que diz ter 36 anos em cada perna.

Já no time dos estreantes estava João Matoso, 42, de Florianópolis. Ao lado do amigo Patrick, ele não tinha grandes planos para a manhã ensolarada. “Olha, se a gente conseguir chegar rodando em casa, já está de bom tamanho!”, diz, entre risos.

Fonte: Assessoria Fenajeep

Publicidade
Últimas notícias

Brusque homenageou jogadores com placas

Na noite de sexta-feira (01), o Brusque FC realizou a entrega dos quadros comemorativos para os atletas Airton, Rodolfo...
Publicidade
WhatsApp chat