19.6 C
Brusque
sábado, junho 22, 2024
InícioNotíciasGeralAutismo: Criado o centro de reabilitação especializado em saúde infantil (CRESI)

Autismo: Criado o centro de reabilitação especializado em saúde infantil (CRESI)

Data:

Publicidade

spot_img
spot_img
spot_img

Decreto foi assinado durante solenidade no Centro de Educação Infantil (CEI) Max Rodolfo Steffen

Na manhã desta terça-feira (2), teve início, na Rede Municipal de Ensino, o mês de Conscientização do Autismo. Para dar início às atividades, foi realizado, no Centro de Educação Infantil (CEI) Max Rodolfo Steffen, um ato solene, com a presença do prefeito de Brusque, André Vechi, da secretária de Educação, Franciele Mayer, do vereador Jean Pirola, da diretora da unidade, Carina Paza, além de Inajá Araújo, representando a secretaria de Saúde. Os pais dos alunos autistas da escola também foram convidados.

Para iniciar, os presentes distribuíram panfletos explicativos sobre o autismo e seus símbolos. Por exemplo, o quebra-cabeça representa a complexidade do espectro do autismo, o símbolo do infinito representa toda a diversidade do espectro, e o cordão girassol é o símbolo nacional de identificação de pessoas com deficiências ocultas, como o autismo.

Em seguida, a ação foi movida para a Unidade Básica de Saúde do bairro, localizada em frente à escola. Cartazes foram afixados, pessoas foram abordadas e mais panfletos foram distribuídos.

Após as falas dos presentes no ato solene, os alunos com autismo da unidade receberam crachás girassol. Além disso, o prefeito de Brusque assinou o decreto que oficializa a criação do Centro de Reabilitação Especializado em Saúde Infantil (CRESI).

“Antes, os profissionais que atendiam essas crianças não tinham diálogo suficiente nem o acompanhamento necessário dos pacientes. Com este decreto, agora podemos regularizar, contratar e definir um local específico para esse tipo de atendimento, que é tão importante”, destaca o prefeito.

Tatiane de Souza, mãe de um dos alunos, comemora o acolhimento que tem recebido da unidade. “É muito gratificante; o que queremos é respeito e inclusão. Temos medo de que nossos filhos sejam excluídos”.

Questionada sobre seu dia a dia, Tatiane desabafa: “Gostaríamos que as pessoas parassem de julgar e de olhar estranho. Muitas vezes estamos com nossos filhos no supermercado, por exemplo, e ele entra em crise. Veja, nós, pais, já estamos muitas vezes no nosso limite e precisamos conseguir lidar com essas situações”.

Atualmente, a rede pública municipal atende 1.843 crianças e adolescentes que são público-alvo do Atendimento Educacional Especializado (AEE), comenta a secretária de Educação. “Em 2022, contávamos com 22 professores do AEE. Em 2024, dobramos esse número, alcançando hoje 53 professores. Quanto aos monitores de inclusão, tínhamos 87 em 2022; atualmente, esse número saltou para 364”.

Franciele destaca ainda que cada unidade escolar realizará suas próprias ações. “Todas as unidades vão trabalhar o acolhimento, a inclusão e o respeito, seja por meio de trabalhos, apresentações, filmes, músicas, enfim, teremos diversas atividades diferenciadas em todas as escolas”.

Publicidade
WhatsApp chat