Publicidade

Diretor presidente do Samae explica falta de água em algumas regiões de Brusque

Diretor presidente do Samae explica falta de água em algumas regiões de Brusque

Outras notícias da semana

Moradores dos bairros Cedro Alto, Dom Joaquim, Ribeirão do Mafra e Tomaz Coelho têm enfrentado problemas com desabastecimento de água nos últimos dias, devido a falta de chuvas na região. Para amenizar os transtornos, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto de Brusque (Samae) adota medidas paliativas, como a disponibilização de caminhões pipa.

Samae Brusque
Diretor presidente do Samae explica falta de água em algumas regiões de Brusque . (Foto: Divulgação / Samae)

A previsão é que em cerca de 60 dias seja instalada uma nova bomba nas imediações da Cristalina, no rio Itajaí Mirim, para captar água. O serviço já foi licitado. “Com a bomba vamos levar água para o Sistema de Dom Joaquim para que seja tratada e distribuída. Só que isso demanda um certo tempo, pois precisamos construir um duto pelo meio do mato em mais de um quilômetro e reforçar a energia elétrica. Essa medida vai amenizar o problema, até que tenhamos a Estação da Cristalina pronta”, explica o diretor presidente da autarquia, Dejair Machado.

De acordo com ele, cerca de 10 caminhões pipa são disponibilizados por dia nas regiões afetadas. “Estamos fazendo o possível. São 150 mil litros/dia, pois cada caminhão transporta 15 mil litros. Além de um caminhão com 5 mil litros para chegar nos lugares mais altos”, detalha.

Machado explica que o desabastecimento de água ocorre em decorrência da falta de chuvas na região. “O problema é a estiagem. Não é inoperância do Samae ou outra questão. Estamos com os nossos dois microssistemas, do Ribeirão do Mafra e de Dom Joaquim, trabalhando menos de um terço por dia, pois não tem água para tratar. As nascentes começaram a secar e a região toda do bairro Cedro Alto, Dom Joaquim, Ribeirão do Mafra e Tomaz Coelho, é abastecida por esses sistemas”, enfatiza.

O diretor presidente explica ainda, que outras regiões do Estado enfrentam racionamento de água. “Estamos acompanhando e sabemos que a Grande Florianópolis, Biguaçu, Palhoça, São José e o Meio Oeste enfrentam problemas de racionamento. Em Brusque, a região abastecida pela Estação de Tratamento Central (ETA) não apresenta problema, porque captamos água do rio e ele dificilmente vai secar. Na barragem, mantemos uma profundidade em torno de 3 metros, mas o nível de água nas outras regiões não chega a 50 centímetros. Se não tivesse a barragem já estaríamos com dificuldades também”, avalia. “Adotamos medidas paliativas, mas precisamos de chuva”, conclui.

ETA Cristalina

Garantir abastecimento de água na cidade até 2050 e espaço para expansão do sistema, são os principais objetivos do projeto da nova Estação de Tratamento do Samae, a ETA Cristalina. A expectativa é que a obra seja realizada em cerca de um ano e meio após a conclusão da licitação, que está prevista até dezembro de 2019, após o término de elaboração do projeto executivo.

Diretor presidente do Samae explica falta de água em algumas regiões de Brusque . (Foto: Divulgação / Samae)

Quando concluída, a ETA Cristalina deve produzir 400 litros de água por segundo e resolver os problemas de abastecimento do município.

Últimas postagens

Publicidade
WhatsApp chat