Tribuna da Câmara: O discurso de Jean Pirola

Publicidade
Utilidade pública

Na tribuna da Câmara, o vereador Jean Pirola (PP) defendeu-se das acusações e criticou a Marlina Schiessl (PT) por promover difamações e usar as redes sociais de modo a ferir o regimento interno da Câmara.

“Talvez nos nove anos aqui na câmara o discurso mais baixo que já ouvi de um vereador, para se utilizar na tribuna, criar um factoide tentando jogar a sociedade contra um parlamentar”, disse.

A respeito do referido tom ameaçador dito por Marlina, o vereador Pirola rechaçou a colocação, entendendo de que a vereadora desvirtuou o tema, ao ser criticada pelo parlamentar por fazer comentários difamatórios nas redes sociais.

“Veja se tem cabimento ela falar no basta, achando que tem algum bandido aqui dentro da Câmara”, falou.

Segundo Jean, o comentário, na sessão anterior, foi no sentido de que a vereadora fere o regimento.

“O basta que falei nesta tribuna, que a senhora prestou bem atenção e se utiliza de um factoide, não só para desmoralizar este vereador e a casa legislativa, é este tipo de situação que a senhora acabou de fazer: atacar, desrespeitar os vereadores”, complementou.

No bojo das críticas, Pirola falou sobre a construção da UPA no bairro Santa Terezinha. O vereador criticou Marlina por desconhecer o histórico de tramitação do assunto na casa legislativa.

“Sabe quanto já foi discutido sobre a Upa, talvez a senhora nunca prestou atenção na Câmara, não assistiu a sessão nos últimos cinco anos, pelo menos, quando seu ex-prefeito-cassado trouxe a UPA e não deu condições de abri-la – custa mais do custa o Hospital Azambuja”, ponderou.

A respeito do pedido de informação sobre uma foto em que servidores municipais aparecem na imagem que crítica o presidente Jair Bolsonaro, o vereador disse não se tratar de perseguição.

“É um direito do vereador, e fui escrachado que estaria perseguindo funcionário – qual foi o dia; eu só vou discutir quando chegar a resposta”, comentou.

No tema das críticas pessoais, Jean lamentou a postura da vereadora em querer caracterizar diferenças entre homem e mulher, no espaço legislativo.

“Já fui vereador com outras duas mulheres e nunca passamos situações como as situações da vereadora Marlina, que tenta de todas as formas diminuir o homem e elevar a mulher, como se fossem diferentes; aqui a senhora tem o mesmo voto igual como os demais 14 vereadores e deveria respeitar”, frisou.

Em um sentido mais pessoal, Pirola atribuiu que a própria vereadora não fez defesa em favor das mulheres quando o ex-prefeito Paulo Eccel teceu um comentário na rede social da vereadora, que abordava críticas ao vereador Pirola. 

Paulo escreveu no link: “Uns se preocupam com democracia, outros com seios de silicone”, disse.

Segundo Pirola, a mensagem foi de forma indireta para atingir a esposa de Pirola, em função de um procedimento estético. O caso remonta à época que Paulo era prefeito, em 2014. 

“O ex-prefeito deveria mandar essa frase para todas as mulheres”, disse.

Em seguida, Pirola cobrou de Marlina por não feito defesa das mulheres ao caso.

“Frase chula, atacando diretamente vocês mulheres, minha esposa e a senhora deveria olhar sua rede social e coibir este tipo de argumentação; os seus líderes partidários acatam as mulheres na sua própria rede social e a senhora não vê”, destacou.

Ao segurar a bandeira brasileira, no mastro atrás da tribuna, Pirola finalizou “Uma coisa eu digo, minha bandeira nunca vai ser vermelha”.

Acompanha na íntegra o discurso de Jean Pirola na tribuna da Câmara

Em áudio encaminhado ao Jornal da Diplomata, nesta sexta-feira, 2, o ex-prefeito Paulo Eccel comentou as críticas direcionadas pelo vereador Jean Pirola. Acompanhe no link.

Publicidade
Últimas notícias

Ponte do Trabalhador será interditada por algumas horas neste sábado, 31

Ação ocorre neste sábado (31), entre às 13h e 18h e na próxima quarta-feira (4), feriado municipal, das 7h...
Publicidade
WhatsApp chat