Tribuna da Câmara: O discurso de Marlina Schiessl

Publicidade
Utilidade pública

No espaço destinado às explicações pessoais, a vereadora Marlina Schiessl (PT) e o vereador Jean Pirola (PP), tiveram um novo embate, no final da sessão da última terça-feira, 29.

Marlina ocupou a tribuna e teceu críticas ao vereador da base governista, elencando temas como o caso da rachadinha e os gastos do Poder Executivo com a queda das pontes, nos bairros Santa Terezinha e Guarani.

Entrando num aspecto mais pessoal, a vereadora pediu explicações de Pirola para a expressão de “basta”, segundo a vereadora, usada por Jean em uma publicação nas redes sociais.

“Declarou que devemos dar ‘um basta’ a certas situações, em uma fala que me pretendeu ser ameaçadora – peço que diga a essa Câmara, a cidade e a mim quais são essas certas situações que o senhor se refere”, disse.

No âmbito político municipal, Marlina fez críticas pela postura do vereador frente a temas de interesse público.

“Porque o senhor não se indignou com a tal da ‘rachadinha’, rolando pela prefeitura – isso não lhe incomoda”, disparou.

“Um monte de gente incompetente ocupando cargos importantes na prefeitura, recebendo altos salários, muito maior que a maioria da população, cujo único critério da contratação é devolver parte do salário a quem os indica – isso não lhe incomoda”, contestou.

Em seguida, Marlina cobrou do vereador as obras de recuperação das pontes.

“Não incomoda a incompetência do governo municipal que daqui a pouco vai ter que recorrer a balsas por falta de pontes na nossa cidade – afinal, quem vai pagar o conserto da ponte do Santos Dumont? ”, comentou.

Marlina também elencou como indignação a Unidade do Pronto-Atendimento do Santa Terezinha.

“Continuamente abandonada, enquanto isso, cidadãos continuam em pé, em filas enormes, implorando o atendimento”, disse.

Schiessl ainda falou da falta de exames preventivos às mulheres, em detrimento de uma suposta falha técnica no sistema do serviço da rede municipal.

O discurso de Marilna entrou na esfera da política nacional, diante do posicionamento de Pirola em torno do pedido de informação sobre um cidadão que recebeu aplicação da vacina da Covid-19 e saiu na foto com agentes de saúdes, durante o expediente dos servidores, que aparecem na foto, em que aparece uma mensagem de protesto contra o presidente Jair Bolsonaro. O discurso respingou no ambiente legislativo.

Vereadora Marlina Schiells (PT) na tribuna da Câmara (Imagem/reprodução)

“A meu ver, as prioridades de alguns aqui nesta casa estão inversas aos interesses públicos – muitos dessa casa se acostumaram a fazer conversas nos bastidores, corredores e nos ‘churrasquinhos’ privados”, disse.

“E quando vem a público não querem que saiam do script”, concluiu.

Marlina finalizou com posicionamentos sobre sua postura ideológica, em defesa da mulher negra. Ao se mostrar ameaçada, a vereadora citou o caso da vereadora Mairele Franco, do Rio de Janeiro.

“Ninguém, absolutamente, ninguém vai me calar; ninguém vai me amedrontar e fazer baixar a cabeça com ameaças”, disparou.

“Senhor Jean Pirola gostaria que o senhor viesse essa tribuna e explicasse a mim e aos nossos colegas e a cidade de Brusque qual o tipo de ‘basta’ o senhor pretende me dar”, disse.

Acompanhe na íntegra o discurso feito por Marina na tribuna da Câmara
Publicidade
Últimas notícias

Covid-19: Confira o boletim epidemiológico desta terça-feira (27)

Nas últimas 24 horas, 45 novos casos da doença foram registrados em Brusque São 27.546 os casos confirmados de Covid-19...
Publicidade
WhatsApp chat