Apae de Brusque homenageia 100 anos do nascimento de dona Ruth de Sá Moritz

Publicidade
Utilidade pública

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque inaugurou na tarde de segunda-feira, 16 de agosto, o painel artístico “Amor Incondicional”, que traz o retrato de Dr. Carlos Mortiz, dona Ruth de Sá Mortiz (in memoriam) e de Pierre, filho do casal, e aluno mais antigo da instituição.

A inauguração do mural marcou a passagem dos 100 anos de nascimento de dona Ruth, na última sexta-feira, 13 de agosto, e serviu como uma grande homenagem à ela pela dedicação e trabalho voluntário realizado em prol da entidade.  

Fotos: Apae de Brusque/Divulgação

A cerimônia contou com a presença de colaboradores, integrantes da diretoria da entidade, além de Pierre e de outros dois filhos do casal: Carlos Moritz Filho (Caloca Moritz) e Maria Teresa Moritz Montibeller, que atualmente é vice-presidente da Apae de Brusque e voluntária do Clube de Mães.

Honrar o passado

Durante o evento, o presidente da Apae de Brusque, Renato Roda, enalteceu a importância da homenagem, que não só valoriza o trabalho artístico, mas também retrata o legado de quem iniciou a luta em prol da instituição. “A Apae sente-se honrada em poder, junto à Família Moritz, eternizar esta imagem em forma de arte, e que demonstra todo o reconhecimento da entidade por essa causa, iniciada há 66 anos e que hoje atende com muito amor 270 alunos. Esta é uma data muito significativa e temos certeza que, se viva estivesse, dona Ruth estaria muito feliz e orgulhosa do que a Apae é hoje”, comentou.

Na oportunidade, Caloca Moritz agradeceu a homenagem e também relembrou as reuniões realizadas na residência da família e que deram início à fundação da instituição. “É muito emocionante estar aqui e prestigiar esta obra em homenagem aos nossos pais. Além do que é uma forma de contemplarmos a grandeza da Apae, deste sistema presente em todo o país e que precisa de tanto apoio. Gostaríamos de parabenizar o professor Vavá, autor da obra, por esse belo trabalho e também a toda a diretoria da instituição, pois é muito bom sabermos que diversos voluntários e profissionais diariamente dão continuidade a esta causa, que foi ampliada e atende tantas pessoas e famílias. O nosso muito obrigada”, declarou.

Da mesma forma a irmã, Maria Teresa Moritz Montibeller agradeceu ao ato e a todos que sempre contribuíram para a Apae de Brusque. “Fico muito agradecida pela homenagem, pois sabemos que essa ‘semente plantada’ por eles teve sempre muito apoio da comunidade, que sempre acolheu essa ideia. Sabemos que os desafios são muitos nesse trabalho tão sério que é realizado aqui. Mas, ao mesmo tempo, sabemos que todos que atuam na Apae são pessoas do bem e que buscam dar o melhor de si a quem precisa. E somos muito gratos a isso”, completou.

A obra

Localizado na entrada do Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecon), o painel de 4,5 x 5,5 metros é de autoria do artista visual e arte educador da Apae de Brusque, Evailson Inomata, o Vavá. O projeto foi contemplado com recursos da Lei Audir Blanc e integra o projeto “Artes de Murais para Humanizar os concretos de Brusque”.

“Quando pensamos em produzir essa obra ela veio ao encontro de um desejo de algum tempo da instituição, em demonstrar, através da arte, quem foram os fundadores da instituição e que deram início a este sonho. Por isso o nome da obra foi ‘Amor incondicional’, pois retrata o amor dos pais pelo filho e a busca em sempre fazer o melhor. E através deste amor, da dona Ruth e do Dr. Carlos, eles fizeram com que a Apae de Brusque fosse a segunda do país e a primeira em Santa Catarina, e que ao longo desses 66 anos realizasse uma importante transformação social e na vida de todos que aqui são atendidos e acolhidos, com trabalho especializado”, comentou Vavá.

A obra conta também conta com alguns elementos orientais em sua composição, como o chamado “tsuru” (a ave japonesa símbolo da longevidade), flor de cerejeira, entre outros. Além disso, a ilustração é híbrida: a imagem de Dr. Carlos e dona Ruth foi feita em preto e branco, uma alusão à suas memórias, em contraste com a imagem de Pierre, colorida, já que o mesmo ainda frequenta a entidade. “A ideia foi trabalhar as técnicas artísticas, mas também instigar o público, em o porquê da obra. É uma alegria imensa ter feito este projeto, que traduz muito carinho, além de estar apresentado à comunidade, através da arte, quem foram os pioneiros deste movimento apaeano por aqui”, declarou.

Homenageada

Nascida no Rio de Janeiro, em 13 de agosto de 1921, Ruth de Sá Moritz era filha de comerciante português. Mulher tímida e recatada, se preparava para seguir a vida religiosa em um convento até que em um baile de formatura conheceu Carlos Moritz, que dias depois pediu sua mão em casamento. Recentemente formado em medicina, Carlos morava no interior de Santa Catarina, e na época pretendia retornar a sua terra natal para atuar como médico. Assim, em 20 de maio de 1942 Ruth e Carlos se casaram e vieram morar em Brusque.

Da união nasceram sete filhos: Carlos, Pierre, Luiza, César, Cristina, Rogério e Maria Tereza. O segundo, Pierre, nasceu com necessidades especiais. A preocupação da família com ele e com demais crianças que também tivessem alguma deficiência fez o casal fundar um local onde essas crianças e jovens pudessem ser bem atendidos e estivessem integrados na sociedade. Assim, em 14 de setembro de 1955, com o auxílio da comunidade local, foi fundada a Apae de Brusque – a primeira Apae de Santa Catarina e a segunda do país.

Ao longo de toda a sua vida, dona Ruth nunca deixou sua fé e religiosidade de lado. Exerceu os mandamentos de Deus da forma mais fiel e, desde a fundação da instituição, até seu falecimento, em 10 de setembro de 2010, se dedicou a diversas atividades da Apae, em especial ao Clube de Mães, sempre em prol dos mais necessitados.

História

Fundada em 14 de setembro de 1955, em 2021 a Apae de Brusque celebra seus 66 anos. A instituição é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado após o nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz, e que ainda é um dos alunos da entidade. Com ele, cerca de 270 alunos recebem atendimento.

Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação: Clínica Uni Duni Tê, Instituto Santa Inês e Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecon).

Fotos: Apae de Brusque/Divulgação
Fotos: Apae de Brusque/Divulgação
Publicidade
Últimas notícias

Polícia Civil apura denúncias e prende em flagrante casal que aplica golpes do cartão

Um casal foi preso pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 15, por crime de estelionato. A investigação apurou denúncia de...
Publicidade
WhatsApp chat