Um natal em família: Paróquia São Luís Gonzaga celebra o nascimento de Jesus

Publicidade
Utilidade pública

A Paróquia São Luís Gonzaga viveu a noite da véspera do Natal iluminada pela presença das famílias, na expectativa pelo nascimento do Menino Jesus. Presidida pelo pároco, padre Diomar Romaniv, a missa da noite do Natal foi celebrada às 19h deste 24 de dezembro, com presença dos paroquianos e fiéis que vieram de outras cidades para acompanhar a celebração na Matriz e também nas comunidades da paróquia.

(Foto: Paróquia São Luís Gonzaga/Divulgação)

Os sinos da Matriz, que diariamente tem sua função de comunicar os horários das missas, deram o primeiro sinal de uma noite emocionante: às 18h59 eles badalaram no centro da cidade para comunicar que era noite de Natal. Da escuridão, surgia no corredor central da igreja a família que conduziu a imagem do Menino Jesus ao presépio, iluminando, assim, a noite de Natal, com bênção e incenso. Até o presépio, a imagem do Menino Jesus foi levada nos braços da pequena Sofia, 11 anos, e da irmã Luisa, que conduziram a imagem do Menino à manjedoura, acompanhadas dos pais, Luis e Daniela Walendowsky. Ao lado do presépio, estava a irmã Vitória B. Walendowsky, 11 anos, que entoou a canção do anúncio do Natal.

O sentido do Natal

“Como igreja estamos no ano da família (Amoris Laetitia), e a festa de Natal tem este sentido. Das famílias que vem à igreja rezar, que se reúnem para a Ceia de Natal, e quisemos aproveitar isso, através da celebração, dos cantos, através dos momentos especiais como a entrada do Menino Jesus, que foi trazido por uma família, recordar que Jesus nasce numa família para ser acolhido e amado”, destacou o pároco. “Que bom que as famílias vieram aqui rezar e sentir que em Deus elas encontram esses dons que o Menino Jesus veio nos oferecer e que hoje, cada família leva de volta para sua casa”, destaca.

Não é necessário ir longe para encontrarmos os exemplos de Jesus entre nós, nos dias atuais. “Uma das frases bonitas que sintetiza o mistério do Natal é que Deus, ao enviar Jesus, este Ser divino, Ele se torna humano. Deus se humanizou para que nós nos tornássemos divinos. E onde encontramos os sinais de Cristo encarnado entre nós? Nos grandes gestos de humanidade. Quando o ser humano vive, de fato, como um ser humano que ama, que acolhe, que perdoa, que promove a paz e faz o bem, ali há um sinal evidente daquilo que Jesus viveu”, destaca padre Diomar ao refletir sobre o Natal e o exemplo de Jesus Cristo.

Ele está no meio de nós

A reflexão da noite de 24 de dezembro é sobre uma criança que dorme, mas que comunica algo. A analogia refletida com o bebê Davi Luís Fuck, 5 meses, no colo, inspirou o pároco a nos apontar alguns aspectos do Menino Deus, semelhantes ao de uma criança que seguramos no colo. Para a noite santa do natal, em que nasce Jesus, Deus concede a graça de pegarmos Jesus no colo e voltarmos para casa com Ele. “Quando uma criança nasce, a maior parte do seu dia ela dorme. Um bebê que dorme e, mesmo dormindo, se comunica. É verdade que é preciso aprender a linguagem do bebê, e a mãe vai descobrindo conforme a sua comunicação, se ele está com dor, se está precisando trocar fralda, e assim por diante. Jesus nasce entre nós, se torna bebê e dorme na manjedoura. Nos braços de Maria também comunica algo para nós. O quê está querendo dizer Deus ao assumir nossa humanidade? Está dizendo que ela é a luz, e que acolhê-lo é viver iluminado. Está dizendo que Ele ama e que estar com Ele faz crescer nossa alegria e aumenta a nossa felicidade. Deus está dizendo, através de Jesus que dorme, que Ele é a paz, o Príncipe da Paz”, observou padre Diomar durante sua homilia.

(Foto: Paróquia São Luís Gonzaga/Divulgação)

“O outro ensinamento é de que quando olhamos para um bebê recém-nascido ficamos contemplando, e pensamos: será que ele vê? Será que ele está escutando? Será que ele me entende? Isso é o menos importante quando se trata de um bebê. O mais importante é que ele existe. Que ele está aqui, que ele está no meio de nós. O Menino Jesus nos dá, também, uma resposta às seguintes perguntas: será que Deus me escuta? Será que Deus me vê? Será que Deus me entende? E a resposta é esta: antes de tudo, Ele existe e Ele está no meio de nós e a Sua presença já é a resposta para todas as perguntas. Porque a presença comunica o amor, oferece e transmite tudo o que Ele veio oferecer”, ressaltou o pároco. “Nesta noite santa, portanto, somos convidados a pegar Jesus no colo e, dormindo, contemplar, este Menino que transmite a graça e bênção de Deus. Nos sintamos hoje, nesta noite, como Maria e José que fazem Jesus dormir porque estão na presença do Filho de Deus”, refletiu padre Diomar.

260 balões coloridos deram ainda mais vida ao entorno do presépio com a presença das crianças, que, juntas ao padre, entoaram as canções ‘Mundo feliz, nasceu Jesus, e ‘Noite Feliz’. “De certa forma, cada criança é uma imagem de Jesus, sinal da inocência, da santidade, da paz que elas vivem”, destacou o pároco.

(Foto: Paróquia São Luís Gonzaga/Divulgação)

Um Natal em família

Talita e Alexandro Pagle e as filhas Mariana e Carolina são de Blumenau e, em visita à família em Brusque, estiveram na missa de Natal na Matriz. “A gente participa das missas todo final de semana e no Natal é sempre muito especial. Só temos motivos para agradecer e é lindo vir na missa quando está assim, cheio”, destacou Talita.

Entre família a Gabriele Taís Paza reservou a noite deste 24 de dezembro para participar da missa de Natal. “Foi muito linda a reflexão da homilia, toca o coração da gente em um momento tão especial da nossa vida por tudo que passamos durante o ano, pelos desafios que vivemos…preenche o coração saber que temos um Salvador. Desde criança frequento a Matriz São Luís Gonzaga, e todo ano se supera, com as crianças cantando Noite Feliz, é muito especial, ainda mais com a família junto, com saúde, todo mundo bem”, conta Gabriela, que esteve na missa acompanhada dos pais e o namorado, além de uma amiga, afilhada da sua mãe.

Celebrações de final de ano

No dia 25 de dezembro, as missas de Natal foram celebradas na igreja Matriz às 7h, 9h e 19h. No dia 31 de dezembro, sexta-feira, a Paróquia programou as seguintes celebrações: na comunidade Nossa Senhora de Fátima às 18h, nas comunidades Matriz, Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora de Lourdes às 19h e às 19h30 na Comunidade Santa Paulina. No dia 1º de janeiro serão celebradas missas na Matriz às 9h e 19h. “Queremos no dia 31 agradecer a Deus por este ano e no dia primeiro pedir as graças e bênçãos para o ano de 2022”, finalizou o pároco, Pe. Diomar Romaniv.

Publicidade
Últimas notícias

Carlos Renaux intensifica preparação para a estreia na Série B neste domingo, 29

Nesta quarta-feira (25), os atletas do Renaux deram sequência na pré-temporada e preparação para a estreia no Catarinense Série...
Publicidade
WhatsApp chat