Basquete de base realiza treino com ex-jogador da Seleção Brasileira e disputa Copa sub-14 da Federação Catarinense

Publicidade
Utilidade pública

O ano já está a mil para dos atletas do basquete da Ser Brusque, que contam com apoio da Sociedade Esportiva Bandeirante. Neste final de semana, o time competiu em Itajaí (SC) pela Copa sub-14 da Federação Catarinense e na sexta-feira (18) treinou com o ex-jogador da seleção brasileira e técnico William Drudi e sua equipe, do Basquete Tatuí-SP.

“O trabalho de 2022 está vindo forte, abrindo a parte da pandemia. Jogamos sábado em Itajaí com a equipe do Salesiano e São José, que são equipes tradicionais de base, fortes campeãs da categoria sub-14. Estou bem feliz preparando os moleques dentro das possibilidades, eles estão vindo muito fortes. Estamos formando as bases e vamos ter bastante situações boas pela frente”, explica o técnico Daniel de Paula.

Para alcançar bons resultados na formação dos atletas, o técnico ressalta a importância dos treinamentos. “Os treinos são realizados no ginásio do Bandeirante, que dá um suporte muito grande e cede a quadra, o espaço e toda estrutura para fazermos um bom trabalho com os moleques aqui”, ressalta.

Convidado especial

Daniel destaca a importância dos atletas de base conviverem com profissionais do esporte. Por isso, o convite para William Drudi. “Nós participamos de vários duelos na Liga Nacional. Ele está como técnico da equipe adulto e terminando a carreira de jogador. Um cara que eu conheço, já trabalhou com base na equipe do São Paulo e eu pedi para ele, que está jogando o Brasileiro em Brusque, para trocar essa experiência com os meninos. Conversar um pouco com eles e colocar a equipe adulta para interagir com o grupo”, revela.

Antes do treinamento propriamente dito, William conversou com os atletas sobre suas carreira e falou sobre a importância de conciliar os estudos com o esporte. “Em 2008 fui selecionado para a Seleção Brasileira e joguei o campeonato Sul Americano representando o Brasil. Tive uma longa carreira em Franca e em diversas equipes do cenário nacional. Conheci o Daniel jogando contra e ele fez essa proposta para virmos conhecer o projeto. Quem sabe num futuro próximo tenhamos algum atleta daqui ou, o que sempre prezamos, que é criar cidadãos do bem, que é o mais importante de tudo. O esporte é um meio de educação muito grande, tanto pra saúde, quanto educação. Eu tenho filho pequeno e essa geração é bastante antenada no computador. Então tirar essas crianças da frente das telas e trazer para a quadra é muito importante”, avalia.

Segundo o jogador, o basquete é uma carreira curta. “Se eu não tivesse estudado, me formado, eu seria um ex-jogador e vai saber onde eu estaria? Então hoje em dia, ainda mais com essa pandemia, tem muitos cursos on-line, faculdades e graças a Deus com 35 para 36 anos eu já estava terminando a minha faculdade e sabia que estava próximo de terminar minha carreira como jogador e eu tinha que pensar no meu futuro. Todos os clubes nessa época em que eu chegava para jogar me permitiam estudar. Nós temos uns quatro ou cinco atletas que fazem faculdade, tem até um no meu quarto que ao invés de dormir a tarde ele está fazendo a tarefa da aula. E isso é importante para a carreira dele. Quando a gente é jogador, acha que é para sempre, mas não é e passa muito rápido. Parecia que era ontem que eu jogava contra o Daniel e hoje estamos em outra situação como técnico sendo espelho para essas crianças”, conta.

O atleta Filipe Brito Wehmuth gostou de ter a oportunidade de conhecer o ex-jogador da Seleção Brasileira. “É muito bom. Ele tem muita experiência e é muito melhor do que nós no esporte. Jogar com um atleta como ele é muito bom, porque a gente aprende muito. Isso é o legal”, ressalta.

Sobre os jogos daqui para a frente, Filipe diz que o grupo tem treinado bastante. “Estamos focados desde o início do ano. O time é novo e muita gente do nosso time nunca jogou campeonato, mas estamos treinando para ganhar, esse é o nosso objetivo mesmo”, afirma ele que tem os treinadores como ídolos do esporte e já foi campeão na categoria sub-16.

Vitória não veio

“Neste sábado iniciamos a temporada de basquete Ser-Brusque. Com muitos garotos jovens e iniciantes, fomos atrás do crescimento e evolução da nossa equipe. Um jogo com bastante luta e garra na Copa sub 14, grande experiência! A vitória não veio, com muitos atletas com idade de 12 a 13 anos e outros iniciando, mas o aprendizado foi gigante para os meninos! Seguimos em frente evoluindo e formando atletas e cidadãos!”, frisa o técnico Daniel.

Publicidade
Últimas notícias

Grupo de Feirino do Bandeirante promove confraternização com ex-jogadores profissionais

O grupo de feirino Clube 25, da Sociedade Esportiva Bandeira, promoveu um momento de confraternização na noite desta última...
Publicidade
WhatsApp chat