15.4 C
Brusque
sexta-feira, julho 19, 2024
InícioNotíciasSegurança PúblicaCaso Milena: motorista acusado pela morte da menina em 2021 é condenado...

Caso Milena: motorista acusado pela morte da menina em 2021 é condenado a 11 anos em regime inicial fechado

Data:

Publicidade

spot_img
spot_img
spot_img

Cabe recurso e André Mott Fagundes poderá recorrer da pena em liberdade

Chegou ao fim, por volta das 18h desta sexta-feira, 11 de agosto, o julgamento de André Mott Fagundes, o motorista acusado de ter atropelado e causado a morte da pequena Milena Ketlin Ristow de 9 anos, e causado lesões na mãe dela, Alvaci de Abreu, de 39 anos, no dia 17 de julho de 2021, no bairro Cedro Alto. Submetido a júri popular, André foi condenado a 11 anos de prisão em regime inicialmente fechado, somadas às duas penas às quais respondia e aguardava o julgamento em liberdade. A sessão teve início às 8h30 da manhã.

A sessão teve início às 8h30 da manhã, e André respondia por homicídio doloso – quando não há intenção de matar, contra a menina, e tentativa de homicídio contra a mãe. A sessão foi presidida pelo Juiz de Direito da Vara Criminal da Comarca de Brusque, Dr. Edemar Leopoldo Schloesser. A condenação foi somada às seguintes penas: sete anos pelo homicídio de trânsito contra Milena, e quatro anos pela tentativa de homicídio contra a mãe, Alvaci. Atuaram como defensores do réu, Ismael Grein e José Renato Nunes. A denúncia foi feita pelo Ministério Público de Santa Catarina com atuação da Dra. Susana Perin Carnaúba e seus assistentes. Ele foi denunciado por homicídio, com dolo eventual consumado (criança) e outro tentado (mãe).

A condenação foi somada às seguintes penas: sete anos pelo homicídio de trânsito contra Milena, e quatro anos pela tentativa de homicídio contra a mãe, Alvaci.

Comoção e confusão

No início da tarde de ontem os ânimos se exaltaram no tribunal. Era por volta de 14h quando ocorreu o intervalo para o almoço. Neste momento, o irmão de Milena entrou na parte restrita do tribunal e agrediu o réu na cabeça. O irmão teria cometido a agressão após a fala do advogado de defesa, que teria insinuando culpa à mãe da vítima pelo acidente que tirou a vida de Milena. Foi a partir desta indignação sofrida pela família que o irmão da vítima invadiu o espaço onde o Júri é realizado e agrediu o réu, causando-lhe ferimento perto da orelha. Após o ocorrido, o jovem foi retirado do tribunal e André foi levado para atendimento médico. A sessão foi retomada sem a presença de André, que após liberação no hospital foi autorizado pelo Juiz a ir para sua residência. Já o irmão de Milena respondeu a um Termo Circunstanciado pelo ato.

Relembre o caso

No dia do acidente, Milena Ketlin Ristow estava com a mãe dela quando as duas foram atingidas pelo veículo conduzido por André, no bairro Cedro Alto. Milena faleceu ainda no local. A mãe não se feriu com gravidade, apesar de também ter sido atingida pelo carro. Com a força do impacto, a criança foi arremessada por alguns metros do local onde foi atingida. O atropelamento ocorreu na Rua Davi Hort, no bairro Cedro Alto, por volta das 18h20 daquele sábado, 17 de julho de 2021. O relatório dos bombeiros informou que o condutor não permaneceu no local para prestar socorro. Segundo a Polícia Militar, logo após a chamada da ocorrência, com a identificação de uma testemunha, o motorista envolvido foi localizado, dormindo no interior do veículo e com sinais de embriaguez. Ele estava em um automóvel Fiat/Uno de cor prata. André foi preso na mesma noite.

Relembre todo o caso:

Publicidade
WhatsApp chat